Arquivo da tag: Walt Disney

A pequena sereia

Se estivesse vivo, o sagitariano Walt Disney completaria hoje 112 anos! E, por acaso, ele também morreu no mês de dezembro, no dia 15 deste mês em 1966. Os estúdios Disney produziram muitos dos maiores clássicos da história do cinema, e a década de 80 foi cheia deles.

Quem pode se esquecer de clássicos como “A Pequena Sereia” (1989), “Querida, Encolhi As Crianças” (1989), “Oliver e sua Turma” (1988), “O Mundo Fantástico de Oz” (1986), “O natal do Mickey” (1983), “Tron – Uma Odisséia Eletrônica” (1982), “O Cão e a Raposa” (1981) e tantos outros?


Veja informações completas como preço, localização, reservas, aniversários, clicando aqui.

Programação - Julho 2011 - Trash 80's

Programação - Julho 2011 - Trash 80's

O Mês da TV

No mês de julho, a telinha invade a Trash 80′s. Das inesquecíveis séries aos momentos marcantes das novelas, a grade da Trash 80′s promove um minucioso retrospecto da cultura televisiva de décadas passadas com intervenções artísticas da Trupe Trash e convidados. Um extensa videografia será exibidas nas telas dos clubes, para deixar todo mundo ligado à programação mais alto-astral de São Paulo.

Acontecem também edições especiais no Tubaína Bar (Baixo Augusta) e Artilheiros Bar (Vila Madalena), show do ex-Trem da Alegria Luciano Nassyn na Trash 80′s Vila Olimpia, batalha pop entre George Michael e Mika na SuperTrash (Vegas Club) e animação na Festa da Cores, promovida pela Allianz e sua entidade ABA, na The Week.

Trash 80′s Centro
no Clube Caravaggio
 
Sexta – 1º/7 – Maruxa Xou
A antimusa dos baixinhos está de volta
Concurso de Maruxitas no palco
Trash Benê: com 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal ou açúcar), paga-se R$ 15 até à 1h
Resultado de uma experiência genética entre duas famosas apresentadoras de TV da década de 1980, Maruxa volta ao palco da Trash 80′s para eleger suas novas Maruxitas que acompanharão a antimusa por uma turnê mundial. Além do show, sets com os clássicos infantis que ninguém esquece deixam a noite com gosto de “quero mais”.

Sábado – 2/7 – ACME
Looney Tunes invadem a Trash
Sorteio de DVDs
Uma patota de peso estará presente na Trash: Pernalonga, Patolino, Gaguinho, Piu-Piu e Frajola, Marciano, Ligeirinho e muitos outros personagens dos inesquecíveis desenhos animados da TV ganham tributo. ACME, a fictícia indústria do universo Looney Tunes, prepara surpresas e sorteios durante a festa.

Sexta – 8/7 – Dramalhão Trash
As novelas latinas ganham tributo
Performances com a Trupe Trash
Trash Benê: com 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal ou açúcar), paga-se R$ 15 até à 1h
É a vez dos dramalhões latinos carregados de tragédias, vilões inescrupulosos e atuações tão exageradas que mais parecem comédia. Como esquecer de Thalia em “María La Del Barrio” ou da vilã Catalina de “Ambição”? A Trupe Trash sobe ao palco para reviver vários personagens das tramas, enquanto cenas memoráveis ganham as telas.

Sábado – 9/7 – Quem matou?
A hora e vez dos vilões
Cenas clássicas nos telões
Não existe novela boa sem vilões tramando contra os mocinhos. Mesmo que a história não termine em final feliz pra eles, esses tipos deixam suas marcas no universo da televisão. Fenômenos populares como Odete Roitmann de “Vale Tudo” ainda prendem a atenção dos telespectadores — depois de mais de duas décadas. A gente faz um tributo aos malvados da TV com suas cenas clásssicas nas telas da Trash 80′s e muita trilha sonora de novela.
 
Sexta – 15/7 – Mico Show
Momentos de vergonha explícita
DJ e aniversariante: Ricardo Tallim
Trash Benê: com 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal ou açúcar), paga-se R$ 15 até à 1h
Nos últimos anos, as pegadinhas e os flagras indiscretos dos programas de TV vêm conquistando cada vez mais audiência. A Trash resolveu lançar mão de seus arquivos perdidos e resgatou fotos e vídeos memoráveis de seus frequentadores e staff, e os exibirá pela primeira vez nas telas do Clube Caravaggio. Ricardo Tallim, frequentador assíduo e protagonista de alguns micos, é o DJ convidado da noite.
 
Sábado – 16/7 – Sabadão Du Trexi
O programa que toca o que povo gosta
Performances com a Trupe Trash
Um típico programa de sábado toma conta da sala de estar da Trash, com show de variedades comandado pela Trupe Trash com entretenimento para todas as idades. Na trilha sonora, as clássicas pérolas dos anos 1980 e hits divertidos de outras décadas.
 
Sexta – 22/7 – Duplas Dinâmicas
Relembrando as melhores parcerias da TV
A Gata e o Rato, Casal 20, Miami Vice, Dedé e Didi e muitos outros
Performance com a Trupe Trash
Trash Benê: com 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal ou açúcar), paga-se R$ 15 até à 1h
Os parceiros mais bacanas da TV ganham uma noite especial. Além de relembrar episódios de séries como “A Gata e o rato”, “Miami Vice” e “Casal 20″, a Trupe Trash faz performance especial sobre o tema, carregada de aventura e romance.
 
Sábado – 23/7 – Super-heróis Japoneses
Tributos aos destemidos nipônicos
Performance: Jaspion Trasher Contra o Baixo Astral
De National Kid a Changeman, de Ultraseven aos americanizados Power Rangers, o universo dos super-heróis japoneses é caracterizado pela luta eterna entre o bem e o mal, animações que beiram propositalmente ao amadorismo e muitas cenas de combate alucinantes. Além de decoração especial, o Jaspion Trasher desafia o Baixo Astral no palco! Luta do século.
 
Sexta – 29/7 – Trash Globo de Ouro
As 10 mais de 1987
Performances ao vivo
Trash Benê: com 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal ou açúcar), paga-se R$ 15 até à 1h
A Trash volta ao ano de 1987 e recria no palco e no telão a inesquecível parada de sucessos televisa global. Com performances musicas e videoclipes, 10 hits nacionais da década de 1980 ganham vida na noite especial. Quem estará em primeiro lugar?
 
Sábado – 30/7 – Chacrinha X Bolinha
Tributo aos programas de auditório
Animação com as Boletes e Chacretes da buaty
Apesar de veiculados por emissoras diferentes, os programas de auditório do Chacrinha e do Bolinha tinham formato muito parecido. Ambos eram extravagantes, contavam com dançarinas estonteantes que alimentavam o imaginário de muitos, apresentavam certo clima de improviso, um corpo de jurados e, claro, artistas nacionais de peso. Nessa noite a Trash promove um duelo póstumo para conferir quem leva a melhor.
 
 
Trash 80′s Vila Olímpia
no Espaço Hype
 
Sábado – 2/7 – Ídolo Trash – Luciano Nassyn
O ex-integrante do Trem da Alegria está de volta
Luciano Nassyn, que integrou o conjunto Trem da Alegria, volta ao palco da Trash 80′s Vila Olímpia com sua banda para mais um show energético. Hits infantis como “Thundercats” e “Pra Ver Se Cola” dividem espaço com sucessos do rock nacional e composições próprias. Após essa data, a Trash 80′s Vila Olímpia entra em recesso de férias, retornando com a programção normal apenas em agosto
 
 
Trash 80′s Especial
No Tubaína Bar
 
Quarta – 13/7 – Trash 80′s invade o Tubaína Bar
DJ: Eneas Neto
Hostess: Amanda Zucchi
Mais uma vez a Trash 80′s invade o aconchegante Tubaína Bar, na região do Baixo Augusta. A festa fará parte das comemorações de aniversário do bar. O DJ Eneas Neto faz a trilha sonora da noite e aceita pedidos de músicas dos anos 1980 mas alerta: só devem ser feitos por escrito, nada de celular! Como nos bons tempos. Amanda Zuchhi, da Trupe Trash, é a hostess e anima ainda mais o lugar.
 
 
SuperTrash
No Vegas Club
 
Sexta – 1º/7 – SuperTrash 10 – George Michael X Mika
DJs convidados: Katylene (Daniel Carvalho – Balada Mixta), Cleycianne (Thiago Pereira), Bispo (Peacock, Super Sonique), Luis Depeche (Gang of 5)
A décima edição da festa mensal que promove divertido duelo entre estrelas do pop acontece novamente no Vegas Club. Pela primeira vez, a SuperTrash realizará um duelo entre homens do universo pop. George Michael desafia Mika, em edição marcada pelo universo masculino, dos oponentes às performances, passando pelos DJs que comandam as duas pistas do clube do Baixo Augusta.

Veja informações completas como preço, localização, reservas, aniversários, clicando aqui.

O natal de Donald e Mickey

Continuamos no clima do natal. E para deixá-lo mais “animado”, estamos recordando no blog os melhores desenhos animados natalinos, animações que cativaram as crianças de todas as idades na década de 1980.

Depois de “Turma da Mônica” e “Charlie Brown”, vamos recordar hoje de um verdadeiro clássico dos estúdios de Walt Disney: “A árvore de natal do Pluto”, um verdadeiro sucesso de audiência sempre que foi exibido pela Rede Globo.

Serviço: Trash 80′s Centro – Natal Trash

Local: Clube Caravaggio
Endereço: Rua Álvaro de Carvalho, 40, Centro – São Paulo (próximo ao metrô Anhangabaú)
Quanto: R$ 30. Com reserva ou flyer impresso do site, R$ 20 até as 3h
Dia: 24 de dezembro (quinta-feira) às 23h59
Horário: A partir das 23h
Informações: (11) 3262-4881 ou contato@trash80s.com.br
Site: http://www.trash80s.com.br

DJs: Eneas Neto & Tonyy
Performances: Trupe Trash
Door: Paula Funny e Anderson Legal
Hostess: Alisson Gothz

Lotação: 600 pessoas
Classificação etária: 18 anos
Ar condicionado / Acesso para portadores de necessidades especiais / Proibido fumar
Não possui estacionamento próprio
Aceita dinheiro e cartões Visa e Master (débito e crédito)

Os estúdios Disney tiveram seu auge nos anos 1940 (“Fantasia”, “Pinóquio”, “Bambi”, “Dumbo”) e 1990 (“Aladdin”, “A Bela e a Fera”, “O Rei Leão”, “Mulan”). Mas entre este período o estúdio viveu altos e baixos e um dos seus piores momentos foram os anos 1980.

As produções do estúdio ficaram em baixa na década de 80, o que permitiu o avanço da animação japonesa (“Akira” e as obras primas de Hayao Miyazaki), francesa (“Asterix”) e até brasileira (“A Turma da Mônica”).

Mas nesta matéria não queremos falar só do lado ruim, vamos ver o que tivemos de bom da animação Disney na década de 80.

O Cão e a Raposa

1981 – O Cão e a Raposa
“The Fox and the Hound” foi o 24º longa-metragem de animação da Disney, lançado em 10 de julho de 1981 nos EUA. O filme é baseado no romance homônimo de Daniel Pratt Mannix IV e conta a história de uma raposa e de um cão de caça que são amigos quando jovens. O problema é que quando eles crescem tornam-se verdadeiros inimigos porque os cães devem caçar as raposas. A produção é importante, pois foi o último filme com a participação de importantes nomes do estúdio como Nine Old Men Frank Thomas, Ollie Johnston e Woolie Reitherman. No lançamento foi o filme animado mais caro lançado até então, custando US $ 12 milhões. Sua continuação, “The Fox and the Hound 2”, estreou somente em 12 de dezembro de 2006.

Tron

1982 – Tron – Uma Odisséia Eletrônica
Um dos grandes fracassos da Disney, “Tron” mistura animação por computador com atores reais. A ficção científica foi escrita e dirigida por Steven Lisberger e estrelada por Jeff Bridges. Seu excelente visual ganhou destaque pelo pioneirismo das técnicas utilizadas, mas não conquistou o público. Na trama, o programador de computadores Kevin Flynn (Jeff Bridges) acessa o computador de seu ex-chefe, para tentar provar que fora trapaceado e é levado para dentro do mundo virtual. Transformado no programa Clu, se junta aos gladiadores computadorizados e tem que enfrentar o programa especializado em segurança chamado Tron (Bruce Boxleitner). Uma sequência (“Tron Legacy”) está em fase de produção e deve ter as gravações iniciadas ainda em 2009.

O Caldeirão Mágico

1985 – O Caldeirão Mágico
“The Black Cauldron” foi o 25º longa-metragem de animação da Disney. Lançado em 24 de julho de 1985, o filme é baseado na série “As Crônicas de Prydain”, de Lloyd Alexander. Até hoje é classificado por muitos críticos como um dos piores filmes do estúdio, pois aterrorizava as crianças. A história se passa na mítica terra de Prydain, onde um garoto (Taran) assume a missão de com uma espada mágica impedir que o malvado Horned King libere os poderes sobrenaturais de um caldeirão mágico. De importante fica o registro que este foi o primeiro desenho animado da Disney feito em co-produção com a Silver Screen Partners II, e que também foi o primeiro filme animado produzido pela Disney em que os personagens não cantam.

O Ratinho Detetive

1986 – As Peripécias do Ratinho Detetive
“The Great Mouse Detective” é considerado um clássico, mesmo não trazendo o retorno esperado pelo estúdio. O filme conta a história do ratinho detetive Basil, e suas investigações do sequestro de Flaversham, um fabricante de brinquedos capturado por Ratagão. Durante suas investigações, Basil conta com a ajuda de Dr. Dawson, e eles acabam se tornando grandes amigos. De curiosidade, a elaboração da trama levou apenas um ano para ser concluída graças ao pioneiro uso de computadores. A trilha sonora é outro destaque a parte, pois foi composta por Henry Mancini, que fazia também a composição de alguns desenhos da “Pantera Cor-de-Rosa”. A cantora Melissa Manchester, intérprete da música “Let Me Be Good For You”, também inspirou as feições e os movimentos da sua personagem.

Oliver

1988 – Oliver e sua Turma
“Oliver & Company” foi o 27º longa-animado do estúdio e estreou nos EUA em 18 de novembro de 1988. Baseado (bem) livremente no livro “Oliver Twist” de Charles Dickens, trás uma versão toda protagonizada por animais (cães e gatos) e é todo situado em Nova York. Internacionalmente o filme se destaca por suas participações especiais. Aparecem como figurantes no filme Joca, o vizinho de Lady de “A Dama e o Vagabundo”; e Pongo, o dálmata de “Os 101 Dálmatas”. O filme foi lançado no mesmo dia de “Em Busca do Vale Encantado”, outro clássico das animações. No Brasil ganhou fama pela sua rica trilha sonora com as músicas “Nova York é uma cidade grande e tentadora” (cantada por Paulo Ricardo) e “Perfeição Existe” (interpretada por Adriana Calcanhoto). Rosana, Simony e Léo Jaime completam a trilha nacional.

A Pequena Sereia

1989 – A Pequena Sereia
“The Little Mermaid” foi o filme que marcou uma reviravolta nos estúdios Disney, depois dele começou uma onda de sucessos do estúdio, que se estenderam por todos os anos 1990. Adaptação do conto homônimo do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, faturou em 1989 cerca de 84 milhões de dólares nos Estados Unidos e 99 milhões de dólares no resto do mundo. Em 1997 o filme foi relançado, arrecadando mais 27 milhões de dólares nos EUA. Em termos tecnológicos, a cena final do filme foi a primeira de um longa-metragem da Disney a usar sistema de colorização por computador. A produção também acumulou muitos prêmios. No Oscar de 1990 venceu nas categorias de melhor trilha sonora e melhor canção original (Under the Sea), no Globo de Ouro 1990, também venceu nas categorias melhor trilha sonora e melhor canção original (Under the Sea). E por fim, no Grammy Awards de 1991 venceu na categoria de melhor canção composta para um filme (novamente com Under the Sea). Na dublagem brasileira destacou-se a atriz Zezé Motta (a Xica da Silva dos cinemas) dublando a vilã Úrsula.

Orlando Drummond - 90 anos de talento e humor!

No último dia 18, o ator e dublador Orlando Drummond, completou 90 anos de vida. Em quase 70 anos de carreira, o artista já realizou diversos trabalhos, mas será eternamente conhecido como o Seu Peru da “Escolinha do Professor Raimundo” e do “Zorra Total”. Ambos da Rede Globo.

No mundo da dublagem o veterano deu voz (e vida) aos personagens Alf, Scooby-Doo, Popeye, Vingador (“Caverna do Dragão”), Bionicão, Gato Guerreiro (“He-man”), Assombroso (“Gasparzinho”), Hong Kong Fu, Dumdom (“Tartaruga Touché”), Pepe Legal, Puro Osso (“As terríveis aventuras de Billy e Mandy”), Sr. Coelho (“A Mansão Foster para Amigos Imaginários”), Dentes-de-Sabre (“X-Men”) e Patolino e Frajola (“Tiny Toon” e “Uma Cilada Para Roger Rabbit”).

Ainda ganhou fama com uma das vozes mais frequentes nas dublagens clássicas de Walt Disney, que fizeram o Brasil ganhar a fama de fazer a melhor dublagem do mundo. Entre seus trabalhos se destacam: Atchim (“Branca de Neve e os Sete Anões”), Arquimedes (“A Espada Era a Lei”), Sr. Dawes Sênior (“Mary Poppins”), Lafayette (“Aristogatas”), Urso Balu (“Mogli, O Menino Lobo”), João Pequeno (“Robin Hood”), Lebre Maluca (“Alice no País das Maravilhas”), Cocheiro (“Pinóquio”) e Sr. Smee (“Peter Pan”).

Ainda na ativa, Orlando Drummond continua atuando como dublador (até hoje faz a voz do Scooby-Doo em todos os desenhos e filmes) e ator (brilhando no “Zorra Total”). Vida longa e prospera ao mestre da dublagem brasileira.