Arquivo da tag: sexy trash

O ano era 1991 e não havia sequer uma pessoa que não soubesse cantar o refrão de “I’m Too Sexy” do trio inglês Right Said Fred. A música, que possui uma letra absurdamente divertida e irônica, estourou nas rádios e TVs do mundo todo, muito disso graças ao visual do grupo – que tinha como líderes dois carecas musculosos e cheios de malícia.

O Right Said Fred também teve outros hits, tais como “Don’t Talk Just Kiss”, mas depois do primeiro disco meio que desapareceram do mapa, apesar de continuaram gravando. Em 2010, eles voltaram com tudo e estão aí até hoje, fazendo divertidas apresentações em festivais e casas noturnas na Europa e Estados Unidos. “I’m Too Sexy” já foi usada em mais de 50 filmes e 100 comerciais de TV.

1. A modelo andrógina que beija Madonna no vídeo é brasileira, se chama Luciana Dias, e é filha da famosa comediante Marlene Dias.

2. O bigodudo gostosão é o ator e modelo Tony Ward, que já fez vários filmes independentes com cenas de sexo e, é claro, namorava a Madonna na época.

3. “Justify My Love” foi o primeiro vídeoclipe de um artista a ser lançado em fita VHS. A oportunidade era perfeita, pois o vídeo foi proibido em diversos países e essa era a única forma de vê-lo por completo.

4. “O Porteiro da Noite”, um cultuado filme italiano de 1974, serviu de inspiração não só para várias cenas do vídeo como também para um dos figurinos que a cantora usa.

5. O diretor do vídeo é o fotógrafo Jean-Baptiste Mondino, que já havia dirigido Madonna no vídeo da música “Open Your Heart”.

6. A canção é uma co-autoria com o músico Lenny Kravitz e a compositora Ingrid Chavez, que não recebeu créditos no disco e teve que ir na justiça exigir seus direitos.

7. Apesar de ter seu vídeo banido, a música chegou no primeiro lugar das principais paradas ao redor do mundo e era muito bem executada nas rádios.

8. A dupla de comediantes Mike Myers e Dana Carvey (do Wayne’s World) fizeram uma paródia do vídeo com participação da própria cantora num quadro do lendário programa humorístico americano Saturday Night Life.

9. O projeto Enigma (lembra dele, aquele dos cantos gregorianos em ritmo dance?) usou uma parte de “Justify My Love” em um remix de seu single “Mea Culpa (Part II)”.

10. Música e vídeo foram divisores de água na carreira da cantora, que inicia com eles sua fase mais hardcore, inspirada abertamente em sadomasoquismo, fetichismo e homossexualidade.

Todo mundo já está sabendo que nesta sexta-feira rola a Sexy Trash, e como não poderia deixar de ser, teremos um pole dance de verdade no palquinho. O Caravaggio vai pegar fogo!!!! E quem pensa que pole dance não combina com anos 80, ledo engano! Uma rápida garimpada no YouTube e nós achamos vários vídeos inspirados no tema!

O primeiro vídeo mostra uma dança bem sensual ao som do metal farofa da banda Great White. Logo em seguida, temos o clássico “Don’t Go” do Yazoo, seguido pelo mais legal de todos, ao som de “Into The Groove”, da Madonna. E aí, já está se animando pra botar pra quebrar na Trash??

No ano de 1991, uma polêmica tomou de assalto o mundo pop: uma música, que falava abertamente sobre masturbação, estava tocando em quase todos os lugares. Era o mega-hit “I Touch Myself”, da banda australiana Divinyls, que grudou na cabeça de todo mundo durante boa parte daquele ano – e até hoje muita gente ainda sabe cantar o refrão.

Basicamente uma dupla que trabalhava com vários outros músicos de apoio, o Divinyls era formado pelo guitarrista Mark McEntee e pela voluptuosa cantora Christina Amphlet, que sempre se apresentava usando sugestivos uniformes escolares, com saias curtíssimas e meias-arrastão. “I Touch Myself” foi o único sucesso internacional do grupo, mas eles tiveram uma boa carreira na Australia lançando vários outros hits.

Entre 1983 e 1996 eles lançaram cinco discos e depois deram um tempo na carreira, para se reencontrarem apenas em 2006. Até 2009, eles fizeram vários shows pelo mundo todo e prepararam novo material, que nunca acabou saindo. No final daquele ano, Christina anunciou o fim da banda.

A Trash 80′s desta sexta-feira tá uma coisa “só para maiores”! A noite mais sexy da Trash está de volta fazendo uma homenagem para as divas e musos mais calientes dos anos 1980, com distribuição de vários produtos eróticos para o público brincar e show de pole dance no palco. A década produziu diversos artistas que usavam e abusavam das fantasias sexuais do público e até hoje eles são copiados.

Teve por exemplo a banda de glam metal Motley Crue, que transportou sua equipe para dentro de um clube de strip-tease para fazer seu lendário vídeo do “Girls Girls Girls”. Ou então o Whitesnake que fez a modelo Tawny Kitaen virar um ícone depois de aparecer no vídeo de “Is This Love”. E pra fechar a seleção, os barbudos do ZZ Top celebrando o fetiche em “Legs”.