Arquivo da tag: melissinha

Três coisas que você não sabia sobre a Melissa:

1) Melissa na novela Dancin’ Days
A Melissa nasceu em 1979, justamente o ano em que a lendária novela da Globo, “Dancin’ Days”, estreava com enorme sucesso. Numa grande jogada de marketing, a Grendene não perdeu tempo e foi a primeira marca a fazer merchandising numa novela brasileira, calçando os pés das principais atrizes com suas sandálias. A estratégia deu muito certo e rapidamente a Melissa invadiu as ruas.

2) A Melissinha
A Melissa só começou a fazer sucesso entre o público infantil em 1986, quando o modelo “Melissinha” finalmente foi lançado. Os modelos infantis sempre vinham acompanhados por algum acessório especial, sendo que o que mais fez sucesso foi o modelo que vinha com uma “pochete”, cujo comercial virou um clássico da TV.

3) A Melissa “Aranha”
O primeiro modelo da Melissa foi apelidado de “aranha”, devido ao seu formato em plástico vazado que realmente se parecia como uma aranha. O design revolucionou o mercado e influenciou toda a indústria dos calçados. Outros modelos famosos surgidos na década de 80 foram a Melissa Verão (1980) e a Zig Zag (1981). Em 1987, em parceria com as grifes Yes! Brasil e Zoomp, o modelo “aranha” volta repaginado.

Em 1985, a Melissa fez uma parceria com a grife italiana Fiorucci e lançou no mercado a Melissinha Fiorucci Cristal que, é claro, fez um sucesso enorme entre as meninas. O comercial do produto também fez sucesso nas TVs – principalmente entre os homens – graças à bela modelo em um maiô amarelo “super anos 80″ que o estrelava. Outro grande hit do comercial eram os anjinhos “curiosos”, que formam o logotipo da marca italiana.

A Fiorucci foi criada em 1967, mas nos anos 80 dominou a moda no mundo todo. Naquela época, era usada até por gente como Madonna e Cyndi Lauper, e era uma das maiores grifes do mundo. Em 1989, a marca entrou em uma crise gravíssima devido a má administração, e o embrulho continua até hoje. Mesmo assim, os “anjinhos curiosos” e super estilosos ainda continuam como ícones daquela década.

Nos anos 80 a garotada era simplesmente louca pela Melissinha, a sandália de plástico que todo menina queria ter de qualquer jeito. E não era à toa: além de ser ótima pra brincar, correr, e até mesmo pra sair em um lugar mais “arrumadinho”, a Melissinha era pra lá de versátil.

Neste comercial de 1986, vemos uma edição especial da sandália que foi vendida apenas naquela década e que trazia de brinde uma pochete, um relógio ou um estojinho. Quer coisa mais “anos 80″ que isso??

Por Roberta Ribeiro para Trash 80’s

Uma roupa pode ser linda, chique, mas se o sapato não combinar ou resolver pegar o pé, nada vai dar certo. Aliás, a proteção para os pés foi uma das primeiras peças manufaturadas inventadas pelo homem. Afinal, descalço, pisando em pedras e espinhos, a espécie não teria ido muito longe. Literalmente.

A década de 80 foi pródiga para o mercado de calçados. Dos mais confortáveis aos mais apertados, com todas as cores, foram dez anos muito criativos.

Um dos hits masculinos daqueles anos foram os sapatos Samelo. Mocassim com apelo marítimo, era comum ver homens e crianças com um par nos pés. Suas características principais eram a franjinha no peito do pé e um pingente que balançava para lá e para cá. As cores iam do mais sóbrio preto à cor preferida da hostess Alisson Gothz, o caramelo (que era chamado de whisky na caixa).

Sapatilhas, scarpins, bicos finos e redondos, os sapatos femininos eram, como sempre, os mais diversos possíveis. A gama de cores possíveis era o que os fazia mais diferentes. Do azul piscina gritante ao preto purpurinado, quase tudo era aceito nos pés femininos. Era comum, por exemplo, forrar os sapatos de festa com o mesmo tecido usado para fazer o vestido. Considerando o exagero das roupas, dá para imaginar como ficava o calçado.

Os tênis estavam engatinhando ainda. Não se falava em amortecimento ou especificações para uso. Rainha, Montreal, Daytona e outras marcas que hoje já não têm tanta participação de mercado eram os mais vendidos. Além deles, marcas como Conga e Kichute faziam sucesso nas escolas. Os primeiros, com as meninas. O segundo, com os meninos. Ambos não primavam muito pela beleza, mas custavam bem baratinho e eram puro conforto.

E as garotas ainda descobriram as Melissas, sobre as quais já se falou aqui no Cultura Trash.

Para quem gosta de moda, fica a dica: para se vestir bem e saber se alguém também se veste, comece sempre pelos pés. Eles entregam o bom e o mau gosto em uma olhadinha rápida.