Arquivo da tag: escândalo

erasure

A dupla inglesa formada por Vince Clarke e Andy Bell marca seus shows e videoclipes com muita extravagâncias e é por isso que ganha espaço na programação do mês mais “escândaloso” do ano. Com seus hits na pista e vídeos no telão, a noite ainda sorteia CD e DVD ao público.

Sáb – 20/2 – Trash 80′s Centro – Tributo ao Erasure
No Clube Caravaggio

Clipes no telão e sorteio de CD e DVD

Serviço: Trash 80′s Centro
Quando: Sábado, 20/2, a partir de 23h.
Onde: Clube Caravaggio – Rua Álvaro de Carvalho, 40, Centro – São Paulo
Quanto: R$ 30. Com reserva ou flyer impresso do site, R$ 25 até a 1h.
Para reservas, envie e-mail para reserva@trash80s.com.br até as 16h do dia da festa (ou da véspera, no caso das festas que acontecem aos sábados e feriados oficiais). Reservas sujeitas a disponibilidade.
Hosts: Paula Funny & Anderson Legal
Informações: (11) 3262-4881 / 3237-0908 ou contato@trash80s.com.br.
Site: http://www.trash80s.com.br
Classificação etária: 18 anos
Ar condicionado / Acesso para portadores de necessidades especiais / Proibido fumar
Não possui estacionamento próprio
Aceita dinheiro e cartões Visa e Master (débito e crédito)

Um tribunal de Londres condenou hoje o cantor britânico Boy George a 15 meses de prisão por amarrar e agredir com uma corrente um garoto de programa.

O juiz David Radford decidiu que o cantor, de 47 anos, cujo nome verdadeiro é George O’Dowd, era culpado do crime de “violência gratuita” contra o cidadão norueguês Audun Carlsen, a quem reteve e agrediu em seu domicílio do leste de Londres.

O magistrado disse que o cantor, sob o efeito das drogas, “degradou de maneira premeditada” Carlsen, ferindo-o, e, pela agressão, terá que cumprir 15 meses de prisão.

Durante o julgamento, Boy George admitiu ter amarrado Carlsen, de 29 anos, e disse que fez isso para recuperar fotos que o garoto de programa tinha roubado, mas negou ter agredido.

O fato ocorreu em abril, quando o cantor, que se tornou famoso nos anos 1980 com o grupo Culture Club, e o tema “Do you really want to hurt me?” contratou Carlsen, um modelo que oferecia os serviços em um portal de “acompanhantes” a homens homossexuais e bissexuais.

A versão de Carlsen explica que os dois se encontraram em 27 de abril pela segunda vez, após uma primeira ocasião na qual mantiveram relações sexuais e consumiram cocaína.

No segundo encontro, ambos acertaram um ensaio fotográfico de conteúdo erótico e tudo caminhou bem, segundo Carlsen, até que Boy George saiu para fazer compras e voltou com outro homem.

“Assim que os vi entrar, jogaram-se em cima de mim e me prenderam. Não podia me movimentar”, disse Carlsen, que assegurou que o cantor “também me prendia, batia em mim e me socava”.

Segundo os advogados de Carlsen, Boy George teria ficado irritado com o garoto de programa no primeiro encontro, porque o jovem teria entrado em seu computador pessoal, após o que mandou para ele e-mails recriminatórios e agressivos.

No entanto, dias depois enviou a Carlsen uma nova mensagem na qual dizia: “Ficaria muito feliz em ver-lhe nu o mais rápido possível”.

Quando voltaram a se ver, o clima estava desconfortável desde o começo, e tornou-se violento quando Boy George e seu acompanhante bateram no garoto de programa, o arrastaram pelo chão e o prenderam com algemas em um gancho que saía da parede junto à cama.

O segundo homem, sobre o qual não foram dados detalhes, tirou, então, uma caixa de plástico que continha correntes, brinquedos sexuais e correias de couro, enquanto ambos o insultavam e diziam: “Agora vai ter o que merece”.

Carlsen explicou que conseguiu arrancar o gancho da parede fazendo uma alavanca com as próprias algemas e que saiu correndo da casa, vestido apenas uma cueca e sendo perseguido por Boy George, que o ameaçava com uma corrente de metal.

Uol Notícias