Arquivo da tag: comerciais anos 80

Essa é pra matar qualquer um do coração! Quem não se lembra deste comercial do Banco Nacional onde um grupo de crianças de um coral canta uma música que literalmente ficou gravada na memória de todo mundo durante décadas? Se bobear, até hoje você consegue cantá-la do começo ao fim… duvida??


“Quero ver você não chorar…
Não olhar pra trás…
Nem se arrepender do que faz…
Quero ver o amor vencer…
Mas se a dor nascer…
Você resistir e sorrir…
Se você pode ser assim…
Tão enorme assim eu vou crer…
Que o Natal existe…
Que ninguém é triste…
Que no mundo há sempre amor…
Bom Natal… Um feliz Natal…
Muita flor e paz pra você…
Pra você…”…

Por Trash 80´s

Dizem que a propaganda brasileira se não for a melhor do mundo é uma das que ocupam o Top 5 da área. O que não sabemos é que se o conceito “melhor do mundo” fica por conta da qualidade de imagens e conteúdo ou da capacidade de nossos publicitários de simplesmente passar o recado do produto a ser vendido e de se fazer lembrar (eternamente até).

Veja se você se lembra dos slogans e imagens de alguns grandes sucessos que tornavam os intervalos dos programas mais divertidos nos anos 80:

Bombril – o garoto Propaganda Carlos Moreno fazia toda a diferença nos comerciais da marca. Na verdade o produto era apenas coadjuvante. Em primeiro plano sempre estava o ator com as mais malucas fantasias fazendo diferentes caras e bocas.

Brinquedos Estrela – O sonho de todo criança era ganhar os brinquedos Estrela em qualquer ocasião. Na data de maior apelo comercial que é o Natal, a empresa veiculava um comercial de vários minutos – Nele eram exibidos todos os brinquedos da marca. Não havia uma só criança que não cantasse junto: “A Estrela é nossa companheira, nossa brincadeira, nossa diversão. A Estrela entende a gente e traz sempre pra gente uma nova invenção. /(…) Todo o segredo de um brinquedo vive na nossa emoção. Toda criança tem uma Estrela, dentro do coração”.

Chocolate Laka – A música do A-ha, “Crying In The Rain” era fundo para um romance entre dois adolescentes.

Claybom – Uma garotinha loira de trancinhas, usando um vestido vermelho pulava em um pãozinho cheio da margarina. O comercial acabava com: “Claaaaaaaaaaaaaaaaybom! Um Nhaaaaaaaaac bom”.

Faber Castell – Toquinho cantava a música “Aquarela” enquanto um cenário “mágico” de cores passava na tela. Em uma das versões da propaganda a música era cantada por uma voz de criança. Você lembra? “Em uma folha qualquer eu desenho um sol amarelo”.

Gelatina Royal – Crianças gulosas pulavam em volta da mãe que distribuía a gelatina. O Slogan tomou conta do país na época: “Abra a boooooooooca é Royal”.
Lojas Mappin: “Mappin, venha correndo, Mappin, chegou a hora Mappin, é a liquidação”.

Sutiã Valisere – O Slogan ficou famoso: “O Primeiro sutiã a gente nunca esquece”. Mas mais famosa ficou a atriz Patricia Luchesi que mostrava os seios por cerca de 2 segundos. Até hoje as pessoas lembram dela somente por causa desta propaganda.

Varig – Havia dois comerciais da empresa que as pessoas se lembram bem. O primeiro era o que todo mundo que estivesse sentado em frente a TV gritava: “Varig, Varig, Varig!”. O Outro era um especial de Natal: “Estrela brasileira no céu azul, iluminando de norte a sul, mensagens de amor e paz, chegou o Natal, Nasceu Jesus”.

Ortopé – “Ortopé, Ortopé tão bonitiiiiiiiiinho”.

Grosélia Milani – “Groselha vitaminada Milani – iahuu! No leite, no refresco e no lanche – iahuu! Pra tomar a qualquer hora. Todo dia uma delícia, por isso não se engane, groselha vitaminada Milani – iahuu!! Também sem sabor Morango ou Frambroesa – IAHUUU”.

Caloi – “Não esqueça a minha Caloi”

Chocolate Chokito – “Leite condensado, caramelizado, coberto com o delicioooooooso chocolate Nestlé”.

Banco Bamerindus – “O tempo passa, o tempo voa e a poupança Bamerindus continua numa boaaaaaaaaaaaaaa! É a poupança Bamerinduuuuuuuuuus”.

Cremogema – “Cre-Cremo-Cremo-CremogemA! É a coisa mais gostosa deste mundO! Eu esqueço a minha bola… Eu esqueço a minha boneca… Quando como cremo-cremo-cremogemA!”
Banco Nacional – Um garoto vinha de bicicleta correndo atrasado para o coral de Natal. A música (inesquecível para muitos) tinha um pedaço que dizia “Se o Natal existe, se ninguém é triste, se no mundo há sempre amor. Bom Natal, um feliz natal, muito amor e paz pra você” – o menino chegava a tempo de dizer o último “pra você”.

Coca- Cola – “Coca cola é isso aí”.

US- Stop – “Bonita Camisa Fernandinho”.