Nesta sexta-feira o palquinho da Trash vai ter um repeteco de uma das performances mais legais que aconteceram nos primeiros anos da festa, reunindo o DJ Tonyy e Alisson Gothz ao som do clássico da disco music “Automatic Lover”. A música, de 1978, foi um enorme sucesso na época – muito disso graças à figura exótica da cantora inglesa Dee D. Jackson, que abusava das roupas extremamente sexy e cheia de inspirações futuristas.

“Automatic Lover” fez parte do disco “Cosmic Curves”, que funcionava como uma espécie de historinha, onde Dee D. Jackson era uma heroína que ia em busca de amor num mundo distante. Ao vivo, Dee D. sempre interpretava a faixa acompanhada de um robô prateado, o que obviamente acabou virando um videoclipe que é até hoje cultuado pelos fãs de cultura pop.

Depois de “Cosmic Curves”, ela lançou outro disco na mesma linha que também vendeu bem, mas que já não tinha tanto apelo da ficção-científica. Com a chegada dos anos 80 – e o final da febre da disco music – Dee D. acabou perdendo espaço e meio que sumiu do mapa, mesmo tendo gravado outros discos até 1986. No final dos anos 90, ela começou a fazer participações especiais em programas de TV sobre os anos 70 e também a produzir faixas para outros artistas – além de fazer algumas participações como vocalista em projetos de dance music. Quem quiser saber mais sobre ela, pode visitar seu site oficial http://www.thefantastic.net/

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
7 comentários
  1. D++++ estas informações sobre esta grande cantora que marcou minha adolescencia. E parabens pelo blog.

    dialog
  2. FOI DEMAIS ,PRA NAO ESQUECER FIQUEI NAS NUVENS COM O QUE VI AGORA DEE D JACKSOM FICOU PARA SEMPRE A LEMBRANÇA MUITO BOM E PRA FICAR MARCADO MESMO SEM PALAVRAS COM A SAUDADE

    dialog

Comente