“Can’t Stop the Music” foi mais um daqueles filmes que vieram na esteira do sucesso da disco music e do mega-clássico “Os Embalos de Sábado à Noite”. O filme tinha tudo para dar certo – afinal de contas, era estrelado pelo divertido grupo Village People, que por si só já bastava uma ida ao cinema. Mas vários detalhes impediram o filme de ser um sucesso: além de ser péssimamente dirigido e ter uma história bem boba, ele foi lançado em 1980, uma época em que ninguém aguentava mais ouvir tanta disco music e até o Village People já estava com a bola bem baixa.

O fracasso de “Can’t Stop the Music” foi ainda um motivo maior de alarde da imprensa uma vez que ele foi produzido por ninguém menos que Allan Carr, o criador do histórico “Grease – Nos Tempos da Brilhantina”, que havia se tornado um sucesso mundial poucos anos antes. Depois de “Can’t Stop The Music”, Carr produziu “Grease Parte 2″, que embora também tenha sido bastante criticado e ficado bem abaixo da versão original, pelo menos fez um pouquinho de bilheteria a mais que a bomba do Village People.

Uma das estrelas principais de “Can’t Stop The Music” é o ator Steve Guttenberg, que viria a se tornar mundialmente famoso tempos depois com o filme “Três Solteirões e Um Bebê”. Steve interpreta um DJ de uma discoteca que sonha em fazer alcançar a fama como compositor. Um dia, ele decide montar um grupo com seis rapazes de um bairro nova-iorquino. A partir daí, o filme vira meio que uma biografia falsa do Village People, contando a trajetória deles de NY até a fama em São Francisco. “Can’t Stop The Music” foi lançado em DVD em 2002 e hoje vale a pena dar uma conferida só pra dar risada mesmo. E elas serão muitas!!

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
2 comentários
  1. Acho” Cant’ Stop The Muisic” nota 1000 é maravilhoso cheio de brilho tem a presença do grupo Richie Family que são maravilhosas!

    dialog
  2. Como faço para conseguir o DVD do filme “Can’t Stop The Music”, já procurei e não consegui encontrar.
    Esse filme me faz recordar uma era muito boa.

    dialog
    Marcos Silvio comentou em 13 de janeiro de 2015 às 9:47 Responder

Comente