Confira a entrevista concedida pelo vocalista da Banda Viva Noite para a Trash 80′s. Muito Bacana!

Lembrando que o grupo se apresenta neste sábado (19) na Trash Vila Olímpia. Não perca!

Como e quando surgiu a ideia de formar Banda Viva Noite?
A Banda Viva Noite surgiu no final de 2002. Nós, integrantes da banda, amigos há muitos anos, nos reunimos para uma festa quando alguém encontrou uma fita do grupo Dominó. Colocamos no toca-fitas e percebemos que as pessoas cantavam as músicas e quando a fita acabou a festa praticamente acabou junto… Aí veio a pergunta: por que não montarmos uma banda disso? Foi aí que tudo começou.

Qual o segredo do destaque alcançado pela Banda, considerando a enorme quantidade de grupos que se formam para fazer rivivals da década de 1980?
É muito difícil falar de si mesmo, mas acredito que o pioneirismo da banda em fazer esse tipo de som ajudou muito. No começo era muito difícil vender show para qualquer casa noturna ou festa, éramos ridicularizados, ninguém acreditava que poderia dar certo, nem os amigos. Tivemos que montar uma festa mensal e bancá-la na cara e na coragem. Fora isso, a gente gosta do que faz, gostamos das músicas e fazemos com verdade. Isso tudo que passamos mostra que só gostando mesmo pra seguir em frente. Agora existem várias bandas… o caminho foi aberto por nós como banda e pela Trash 80′s como festa. Depois da porteira aberta a “boiada” passa…

Já que estamos falando da década perdida, o que, na opinião do grupo, marcou essa época?
Nossa, são inúmeras coisas… no nosso caso a música fala muito alto, adoramos tudo referente aos anos 80, nas tardes de Chacrinha ou nas noites com Viva Noite, todas as bandas da época foram icríveis e com uma sonoridade ímpar. É impossível e injusto falarmos de uma ou outra… Vivenciando tudo isso novamente a gente se lembra das comidas, brinquedos, parques, roupas, estilos o tempo todo. E adoramos tudo.

Nos anos 80 todos vocês já queriam ser ou já eram músicos?
No meu caso, do Dino e do Maurício acredito que sim. Eu, particularmente, sempre vi meu irmão ensaiar com a banda do colégio covers do Duran Duran, Lobão, Metrô, Kid Abelha, Billy Idol, The Police etc…
O Dino ja tocou com o Lobão nos anos 90 e é filho do Dino da dupla Dino e Dener, da jovem guarda, por isso desde pequeno tem uma influência forte musical. Os demais músicos atuais são mais novos e alguns nem eram nascidos. Nossa banda é tipo Menudo, já mudamos algumas formações devido a idade muito avançada de alguns integrantes hehehehe…

Como é pra vocês trazer de volta as canções de um tempo que marcou e divertiu a vida de tantas pessoas?
Divertiu a nossa muito, por isso é incrível trazer isso de volta e saber que muita gente se identifica com tudo o que também vivenciamos nos anos 80.

O que acham da proposta da festa Trash 80′s?
A Trash sempre foi incrível, foi pioneira e definiu um movimento revival no país inteiro chamado “trash”.
No começo muitas casas usavam o nome da festa e até tivemos algum desentendimento quanto ao uso do nome nos shows da banda, porém, era algo que fugia às nossas forças pois quando chegavámos pra tocar em algumas cidades o nome “trash” já estava sendo divulgado devido a força da Trash 80’s, que redefiniu um movimento. Sem contar na galera que faz a Trash e que frequenta, são incríveis e nos fazem sentir em casa.

E o programa Pânico na TV, como aconteceu a parceria?
Desde o começo sempre levamos nomes e alguns até mesmo “esquecidos” da música nacional para participar do nosso show. Após 1 ano levando nomes como, Simony, Ovelha, Genghis Khan, Marquinhos Moura, Perla, Fofão, Bozo (Arlindo Barreto), Mara Maravilha, Polegar, Afonso (ex-Dominó), Trio Los Angeles, Sergio Malandro entre muitos outros, o cantor Nahim foi ao programa Pânico de rádio e disse que tinha uma banda e que queria ir no programa de TV… eles convidaram e nós fomos para fazer primeiramente o musical com o Nahim. Chegando lá devidamente fantasiados de Bozo e Paquitas, eles acharam interessante fazer todas as saídas e entradas de bloco conosco, com algumas vinhetas. Estamos lá até hoje.

Deixem uma mensagem para os “trashers” e amantes da década de 80.
Aproveitem muito os anos 80 e nunca deixem esse movimento acabar, mostrem aos seus filhos a alegria que aqueles anos nos proporcionaram, o que de bom trouxeram para os dias de hoje.
E venham sempre curtir a Banda Viva Noite e a Trash 80’s. Bitoca no nariz de todos… Junior Joe (Bozoca).

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente