trash80saniversa

Era para ser apenas uma edição e já rolaram centenas. Sem pretensão, a ideia era reunir amigos para celebrar um aniversário. Hoje realiza-se dezenas num único fim de semana, agregando amigos de amigos. Se analisar bem, não mudou muita coisa. A estrutura é outra, o número de funcionários aumentou, as contas para pagar então, nem se fala!

O que é gostoso de constatar que a Trash 80′s mantém há 8 anos, completados hoje, seu lema de “diversão garantida”. É como chover no molhado. Todo ano surge um texto sobre o quanto a festa despertou a alegria despretensiosa em milhares de pessoas. Não dá para fugir do clichê. Existe um clima de paixão no ar há quase uma década.

Tem gente que chega, tem que vai, uns voltam, outros desaparecem, alguns casam, outros nem pensam nisso. Chega sexta à noite e umas das novelas mais longas da noite paulistana inicia um novo capítulo. Todos os componentes da trama estão ali: etnias diversas, classes sociais misturadas, a garota que acabou de completar 18 anos e quer debutar na “balada” ao lado do avô que leva o namorado a tiracolo. Para um Audi na porta, desce uma musa cintilante que todos aplaudem. Ela fez fama e fortuna no exterior, mas nem pensa em trocar a jogação naquela festa no centrão de São Paulo por outro lugar. O metrô traz a última turma antes de encerrar suas atividades. O bar ao lado ferve, muitos nem querem entrar, param pela muvuca. Acabam seduzidos e saem da pista com o sol já está forte.

É um enredo vasto, um belo estudo comportamental. Alguns passam anos tentando entender a fórmula do sucesso. Outros torcem o nariz, pois de “hype” ali não tem nada. Numa bela noite, são flagrados fazendo aquela coreô que tanto execravam como se não houvesse amanhã.

São tantas cenas que fica difícil editar o roteiro. A gente espera que essa novela nunca acabe.

Parabéns, Trash 80′s! Continue trilhando sua divertida missão de acabar com o baixo-astral.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
5 comentários
  1. Perfeito o texto, diz tudo e em muitas situações eu me enquadrei!!!!!

    dialog
  2. ovada na buati!

    dialog
  3. Legal o texto, parabéns Trash80s.

    dialog
  4. Lembro da primeira Trash, no Cambridge, hotal lotado, estavam Tonyy, Eneas, Spaca, Gothz, Omar, Magiozal e tantos outros trashers. Lembro que toquei também, era uma das primeiras Trash, tenho tudo registrado em fotos, Gothz estava com aquela moldura no rosto, como um quadro… Spaca era solteira e ainda escrevia nas Delícias Cremosas e naquele blog hilário dela. Omar ainda estava na Leroy e não tocava na Trash, mas na Autobahn. Mas o que importa é que ela cresceu, mas o melhor, aquela energia, alegria e diversão garantida não desapareceram. O palquinho continua mágico, o Staff de primeira, dos hostess, door, aos atendentes, seguranças, a tia da limpeza, os DJs maravilhosos, para mim, ir à São Paulo e não passar na Trash não faz sentido, cada vez melhor. Longa vida à Trash. Estarei na festa de 10 anos, 20 anos e quantos mais existirem! Amo todos eles, todos!

    dialog
  5. Parabéns!!!!!!!!! mto bom o texto e mto boa a noite na Trash80s… bjuss

    dialog
    Bia (Sanja) comentou em 4 de maio de 2010 às 9:19 Responder

Comente