Tina

A personagem Tina foi criada em 1960 e tinha estilo hippie. Hoje, a moça cursa jornalismo e mudou bastante seu visual.

O que chamou a atenção do público na sexta edição da revista “Tina”, da editora Panini, foi o melhor amigo da personagem. Caio, que diz ser “comprometido” em determinado momento da história, é o primeiro personagem gay de Maurício. O discurso de Tina contra o preconceito indica que esse é mesmo o assunto que o autor quer trabalhar com o público da revista, adolescentes em sua maioria.

A assessoria declara que tais questões que envolvem esse público serão abordadas “de forma tranquila e sem levantar bandeiras” e ainda afirma que a história não pretendeu ser categórica no lançamento de um personagem gay, levantando até a possibilidade de que ele seja bissexual. O assessor de Maurício também assegura que a história e o personagem terão continuidade.

(fonte: Folha de São Paulo)

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
4 comentários
  1. Adorei o fato de Maurício de Sousa colocar um personagem gay e tentar trazer o assunto de uma forma tranquila e suave, fazendo com que se dismifique preconceitos em torno da homossexualidade, porém, pelo amor de Deus, não tentem trazer à tona uma bissexualidade somente para suavizar o fato.

    Além do mais os leitores da revista (a maioria possivelmente em formação), poderão não compreender muito bem e até poderão achar que a sexualidade é algo mutável ou passível de escolha. O que na verdade não tem absolutamente nada a ver.

    Portanto, voto para manter o personagem gay e trazer os momentos de descoberta do mesmo, dúvidas, anseios e relacionamentos e quem sabe até um grupo específico de amigos gays, mostrando que os homossexuais nada tem de diferente dos heterossexuais.

    Quem sabe dessa forma, tentamos agir de uma maneira diferente com os gays que estão vivendo um momento de descoberta e tornando mais fácil o entendimento e aceitação de sua sexualidade, criando um ambiente saudável, onde possam conviver todos. Minimizando assim o preconceito, muitas vezes expressa de maneira extremamente agressiva, como é o caso do bullying.

    Enfim, vamos torcer para que a aceitação pelo público seja ótima e que o personagem continue se mantendo por muitooo mais edições e marcando uma nova era de personagens gays em quadrinho.

    dialog
  2. Pingback: Cultureba » Na Revista da Tina surge Caio, o primeiro personagem gay de Mauricio de Sousa

  3. Concordo, erik. Quem sabe se a revista tratar um pouco mais a fundo a questão da homosexualidade, muitos leitores (inseguros quanto a sí mesmos) não se sintam ajudados? De qualquer forma, é preciso que o personagem Caio tome uma posição mais definida, caso contrário em vez de ajudar, só confunde mais os em dúvida.

    dialog
  4. Pingback: Na Revista da Tina surge Caio, o primeiro personagem (aparentemente) gay de Mauricio de Sousa « O Sopro de um Sonho


Comente