TatiVOFaz 2 anos e 5 meses que conheço a Trash.

Nem acredito que passou tão rápido, pois sempre que estou lá, me divirto como se fosse a primeira vez!!! Curto cada música como se não a tivesse escutado por muito tempo…

Minha história de amor com a Trash começou quando vi o Catatau dançando com a Gretchen numa festa do Hotel Blue Tree. Fiquei fascinada pelas coreografias, pelas músicas que ele colocou após o show e me determinei a encontrá-lo. Com algumas pesquisinhas básicas, encontrei TRASH 80′S. Por incrível que pareça, eu nunca tinha escutado esse nome…. mal sabia que faria de lá uma extensão da minha casa!

Me lembro exatamente da “primeira vez”… é como dizem: a gente nunca esquece… rs!

Cheguei discretamente, com um salto que me dói o pé só de lembrar… Em algumas horas já estava exausta… mas com a mente limpa… feliz… tranquila…

Ficava imitando o Dannilo dançar e admirando o pique do gatinho. Quando vi toda aquela galera no palco, pensei: são doidos… eu JAMAIS subo nesse palco. Achava um grande mico e até imaginei que aquele povo todo “ganhava” para estar naquela situação… kkkk

Quando tocou Rosana, vi um empurra-empurra loucoooooo em cima do palco e todos dançando como se fosse uma mega apresentação! Nesse momento pude observar algumas pessoas e pude ver observar cada um com seu jeito: carisma, irreverência, energia…

Comecei frequentando uma vez ao mês e em pouquíssimo tempo, lá estava “eu” pedindo pulseirinha pro Dann (queria subir naquele mesmo palco que julgava só ter gente pagando mico) e assim foi… VICIO TOTAL… Depois chegou Amanda, linda e amadíssima… algumas mudanças aconteceram e depois também chegou o Diego Popete, que para mim depois de um “certo dia*” virou Papete… rs rs rs…

* O famoso dia do encontro de todos os amigos trashers depois da balada… Tinha bebido muito e pela primeira vez na vida vi que o mundo girava, literalmente. Depois disso, só lembro do que me contam rs… Diego Popete virou Papete, queria pastel de gente rs… chamava o Glau seeem parar (e ele nem estava lá).

Mas o bom de tudo isso veio depois: olhando as fotos e ouvindo alguns relatos, pude perceber o carinho e atenção da minha amigona Lú e de alguns que me aguentaram azedaaaaaa por algumas horas… Pacolla, Dann e Fillipe… Foi o mico da minha vida, mas também a prova de que tive amigos MARAVILHOSOS por perto.

Lá tudo é perfeito: a recepção com Flavinha e Darwin, as músicas perfeitas com os DJs mais fofos do mundo, nosso gerente Felipe que além de um gatinho tem um carinho fantástico com todos, enfim, todo o staff!!!

Hj tenho VERDADEIROS amigos. Escolhi alguns e fui escolhida também. Queria poder citar todos (seria injusta), mas vou citar apenas alguns pois não citá-los também seria injusto: Glaucio (amoreee e amigo de todas as horas), Jú (a Jú do Glau rs… minha amigona de todos os momentos), Fillipe (haahahahaha adoro!), Lucas (amadíssimo)…

É claro que também tem a minha turminha, mas esses quem arrastou pra lá fui eu: Alê (minha cunhadinha preferida), Camila e Nati (amigas de uma vida), Lú (amigona), Cleber Bb (amigo do coração e de todas as horas também). Com eles a festa sempre está completa.

Ah, e a turma Open no Centro… nessa incluo minha irmãzinha Beth (falar em amor, é besteira rs) e o Fabiano (que cada dia conheço mais um pouquinho). Não perdemos por nada e lá, sem testemunhas rs… Cada vez estamos mais entrosados e unidos.

Às vezes, meus antigos amigos e família me cobram por estar sempre na Trash, por me sentir tão presa a esse lugar que para muitos é um lugar “estranho”. Mas só quem tem uma cabeça muito boa, um coração muito grande, pode entender o bem que aquele lugar faz para uma pessoa, ou melhor, para a alma de uma pessoa.

Eu nunca vou conseguir explicar o que sinto. Quem me conhece sabe que minha vida mudou por conta desse lugar. Sorte que tenho um marido muuuuito paciente e bem resolvido… Sempre que pode, me acompanha e fica lá embaixo olhando eu me acabar naquele palco (que eu nunca iria subir), com aquela gente doida (e AGORA posso dizer: ninguém é doido, somos é muito INTELIGENTES, sabemos o que é aproveitar a vida na melhor proporção que ela oferece, somos felizes, lá nos tornamos uma “família”… enfim somos Trashers!).

Obrigada a todos que direta ou indiretamente fazem parte da alegria que sinto quando estou lá.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
7 comentários
  1. Te Amooooooooooo

    dialog
  2. Pois é… Me viciou totalmente e hoje adoro estar lá com todos!

    Bjos, te amo

    dialog

Comente