Por Alessandro Fiocco para Trash 80′s
15/08/08

O mês pode ser dos machos e o cultura deveria versar sobre algum tema relacionado a eles. Mas não dá para deixar passar em branco o aniversário de 50 anos da maior diva pop de todos os tempos. Inspirando sempre novas e audaciosas tendências, Madonna chega aos cinquentinha e se mostra ainda no auge.

Diferente da sapeca que conquistou o mundo nos anos 80 – para depois escandalizá-lo -, é conhecida por seu poder de transformação. Acompanhe abaixo o início de sua carreira e o que a artista “aprontou” especificamente na década de 80.

1983 – O primeiro disco da moça cai no mercado. Intitulado apenas de “Madonna”. Desponta alguns sucessos como “Borderline” e “Everbody”. Mas o hit mesmo foi “Holiday”, uma música que havia sido rejeitada por outros artistas. A loira, espertinha, viu potencial na canção e a transformou em um de seus hinos.

Everbody

1985 – Com o lançamento de “Like a Virgin”, a loira de cabelos desgrenhados tornou-se mundialmente conhecida. O álbum é do final de 1984, mas a versão de 1985 com a inclusão da famosa “Into the Groove” é a que vale. Além da faixa que dá nome ao álbum, “Material Girl”, “Crazy for You”, “Over and Over” e “Dress You Up” se exibiram nos rankings. As saias de tule e laços no cabelo, além do crucifixo e maquiagem pesada, viraram moda. Foi imitada no mundo inteiro. O mesmo visual pode ser checado no filme “Procura-se Susan Desperadamente”, protagonizado por ela e por Rosana Arquette. Excursionou com “The Virgin Tour”, seu début nas estradas.

Dress You Up

1986 – “True Blue”, seu terceiro álbum é, até agora, o mais vendido da carreira: invejáveis 22.500 milhões de cópias. E só tem musicão de sucesso: “La Isla Bonita”, “Open Your Heart”, “Live To Tell” e “Papa Don’t Preach”. Seu talento como atriz, porém, não foi reconhecido. Levou o Framboesa do Ouro – prêmio destinado aos piores do cinema – por “Surpresa em Shangai”.

True Blue

1987 – Madonna estava a mil. Lança o projeto “Quem é Essa Garota”, que incluiu filme, trilha sonora e turnê mundial. No mesmo ano, a sua primeira coletânea: “You Can Dance”.

Who’s That Girl

1989 – É o ano do polêmico “Like a Prayer”. É no clipe homônimo que Madonna seduz um santo e dá uns amassos nele. Bafo! O disco foi um divisor na carreira da cantora, demonstrando amadurecimento. “Express Yourself”, “Cherish” e “Keep it Toghether” também tiveram destaque. Nestea no dá início às filmagens de Dick Tracy e, junto com o filme, lança a trilha sonora “I’m Breathless”. No álbum, o eterno sucesso linha carão “Vogue”.

Cherish

1990 – “Blond Ambition”, sua terceira turnê, provocou muitas polêmicas. Manifestações, ameaças de autoridades e muito fuzuê. Os conservadores se chocaram com a famosa parte em que, numa cama estilizada, Madonna simulava um orgasmo. Tudo foi registrado no documentário “Na Cama com Madonna”. A década é finalizada com a coletânea “The Immaculate Collection”. Além dos hits, as exclusivas “Rescue Me” e “Justify My Love”.

Turnê Blond Ambition – Like a Virgin

De lá para cá, um outro tanto de sucesso, turnês grandiosas, a passagem pelo Brasil em 1993, três filhos e um casamento.

Mas uma coisa é certa: desde que assumiu o trono, ela nunca mais o abandonou.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente