Por Alessandro Fiocco para Trash 80′s

Rá! Sem pestanejar: Sérgio Mallandro escreveu, a seu modo, o seu nome entre os principais programas infantis da TV brasileira.

As crianças, cercadas por naves trazendo loiras ninfas, necessitavam, principalmente os meninos, de uma figura masculina que também as representassem. Assim, o visionário Silvio Santos apostou suas fichas no inexperiente — pelo menos com o público infantil — Sérgio Mallandro.

Adotado artisticamente pelo dono do SBT desde o início da década de 80, Mallandro já havia participado dos programas “Cidade Contra Cidade”, “O Povo na TV” e “Show de Calouros”.

Mas só em 1987 ganharia o seu próprio show, “Oradukapeta”, que era exibido diariamente pelas manhãs da TVS — o hoje, SBT.

De imediato, estabeleceu uma grande conexão com as crianças que buscavam outras opções. Era só mudar o canal e ficar entre Xuxa e Mallandro. Aliás, a loira e o carioca se conheceram durante a adolescência no Rio e construíram ali uma grande amizade.

Natural e tratando as crianças de igual para igual, Mallandro logo caiu na graça da gurizada e lançou diversos produtos com o seu nome: gibis, bonecos, discos e roupas.

No seu programa, o quadro de maior audiência era a “Porta dos Desesperados”. Nele, a criança tinha a possibilidade de escolher entre uma das três portas cenográficas e torcer para que, de dentro dela, brinquedos e bicicleta saltassem. Caso contrário, monstros e figuras bizarras saiam correndo atrás do perdedor.

Ainda na levada do humor, o apresentador incorporava o jogador Mallandrovsky e o Lutador, um boxeador que sempre era derrotado por um boneco que tinha a cara do patrão, sim, o próprio Silvio Santos.

Devido à sua popularidade e sucesso, e por influência das amigas Xuxa e Marlene Mattos, Mallandro não resistiu ao convite e migrou para a Globo. Já de cara, uma missão: substituir Xuxa em suas férias. Assim, no começo de 1991, lá estava ele, com paquitas e tudo, no lugar da loira. Após o retorno da amiga, ele continuou na programação, só que com o seu próprio programa. Todos os sábados lá estava ele com o “Show do Mallandro”. O programa, influenciado pelos moldes do “Cassino do Chacrinha”, se fixou nas tardes do final de semana, mas o formato não vingou e ele voltou às origens com o infantil do mesmo nome, só que diário, sendo apresentado antes do “Xou da Xuxa”.

Ainda na Globo, ele foi aluno da “Escolinha do Professor Raimundo” e com o desinteresse de Xuxa em continuar apresentando infantis, a emissora não quis mais apostar as suas fichas no segmento e dispensou o apresentador.

De volta ao SBT, o “Programa do Sergio Mallandro” retornou com os mesmos quadros que havia feito do apresentador um ídolo. Logo se mudaria para a Manchete e Gazeta, se enveredando nos programas de pegadinhas ao lado de bailarinas seminuas, além de somar alguns escândalos na bagagem. No entanto, o bom Mallandro é lembrando pelo público como aquele lunático sem noção que gritava “Abaixa” ao som de um avião, fazendo com que todas as crianças se jogassem ao chão. Ainda bem!

Mate as saudades do tempo em que Mallandro aprontava na telinha.
Show de Calouros:

Porta dos Desesperados:

Programa Sergio Mallandro – 1994:

Xou da Xuxa:

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente