Tudo começou numa linda noite de 2004, especificamente no dia 12 de outubro, quando eu fui com a Foxxy (vulgo minha irmã) pela primeira vez em uma festa em que eu poderia ir de tênis. E como eu já havia freqüentado todas as baladas possíveis e impossíveis, fui à Trash apenas para saber como era. Só que como eu nasci em 1983, a única coisa que me interessava nos anos 80 era a Xuxa e olhe lá!

Ao chegar dei de cara com uma cena que marcou minha vida: DJ Tonyy vestido de He-Man. Pronto! Todos já sabem que me encantei e depois disso a festa passou a ser a minha segunda casa.

Mas a Trash pra mim é mais do que uma “buatí”. É o lugar onde fiz melhores amigos, partners, ganhei irmãs, pai, mãe e uma família gigante. E aquele mesmo DJ vestidinho de He-Man foi o grande “criador” das Baldwins fazendo nós três (sim, somos três irmãs) ficarmos mais unidas do que nunca. E o carinho que eu tenho por todos de lá é tão grande que não dá para descrever. Emociono-me ao sentir o carinho que todos têm por nós, as Baldwins.

Poderia escrever um texto gigante contando como é bom ir à Trash, mas não ia adiantar nada, pois não tenho palavras pra descrever o que eu sinto cada vez que piso lá. Digo apenas que é uma sensação única, já que sei que vou dançar até o cabelo ficar bagunçado, que vou rir até a barriga doer, que vou pular até não agüentar mais, que vou ficar sem voz de tanto conversar com meus amigos e que vou me divertir de um jeito como nunca me diverti tanto em minha vida. E depois do dia 12 de outubro de 2004, eu nunca mais freqüentei outras baladas, pois descobri que não há lugar como o nosso lar (nesse momento a música sobe, a câmera se afasta e vai subindo, mostrandouma planície verdinha e o sol brilhando enquanto eu rodo com minha saia plissada… acho que já vi isso em algum lugar!!! ).

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente