Conheci a Trash há alguns anos e desde então não parei mais de freqüentar. Não esperava em um só lugar ouvir Wham, Depeche Mode, Menudo, Roupa Nova, Xuxa… Nossa, que mistura louca e gostosa! Além das músicas que me remetem a muitas lembranças, conheci pessoas felizes e maravilhosas de 20, 30, 40 ou 50 anos, mas que, nessa casa, se transformam em crianças.

Bom, fui freqüentando a Trash pelo menos uma vez por semana e, a cada vez, fazia um amigo, aprendia uma coreografia… Resumindo: fui tantas vezes que fiz muitos amigos, aprendi a dançar as músicas, dei muiiiitas risadas e só posso dizer que a Trash não é simplesmente uma baladinha divertida, é muito mais do que isso. É uma família onde todos rimos e choramos, sem nos importar com o que os outros pensam. Lá conseguimos ser nós mesmos sem nenhuma hipocrisia. É por isso que AMO a TRASH e TODOS OS TRASHERS.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente