Falei que topava. Tô aqui! Mas tem gente que vai ficar com uma baita dor de cotovelo, né, Vagaba???

Bem, conhecemos a Trash em 2005 em um dos pouquíssimos finais de semana que passávamos em São Paulo. A Mirian combinou com a Vagaba e lá fomos nós! Confesso que ao chegar levei um susto. Logo na entrada tinha uma figura estranha, todo maquiado, com uma roupa estrambólica e um penteado esquisito, acompanhado de uma mulher com uma prancheta na mão que gritava e xingava todo mundo.Pensei: “PQP, o que eu estou fazendo aqui?” Mas, entrei. Lá dentro vi um monte de gente em cima de um palco dançando, brincando, cantando, fazendo coreografias gozadas e de novo pensei: “PQP, o que eu estou fazendo aqui?” Depois de algumas cervejinhas, me descontrai um pouco e comecei a me divertir também.

No final de semana seguinte, a maluca da minha mulher queria ir novamente. E fomos. E no outro, no outro, no outro… E assim tem sido todos os finais de semana. Se viajar no sábado, Trash na sexta. Se não formos viajar, Trash no sábado ou na sexta e sábado (às vezes também na quinta). Acho que não danço muito bem, mas que o meu bigode faz sucesso, ah, isso faz (risos). ISSO VICIA !!!

“Sou Feliz, por isso estou aqui…”
“A fim de dividir no fundo do prazer…”
“Serão os dias mais felizes…”
“E fazer seu jogo vai me deixar louco….”
“Eu te amo e vou gritar pra todo mundo ouvir….”

EU FALEI QUE VICIA!!!

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente