Por Roberta Ribeiro para Trash 80’s

Desde a criação da Trash 80’s, Eneas Neto e Tonyy, “pais” da festa, recebiam o mesmo e insistente pedido: fazer um disco que reunisse as músicas mais bacanas tocadas na pista. Finalmente, depois de quatro anos de espera, “Trash 80’s Volume 1: Edição Nacional” chega às lojas, do jeitinho que os freqüentadores, que fizeram da Trash o que ela é, sonharam.

São treze faixas bem conhecidas e queridas do público:

- “Companheiro” – Dominó: lançada em 1985, no álbum “Dominó”, é a música de abertura dos vídeos da TV Trash. Uma das coreografias mais conhecidas do palquinho, começa também o CD da festa.

- “Fada Madrinha – Paquitas: lançada em 1989, no álbum “Paquitas”, teve coreografia copiada inicialmente por Cris Mariposinha, Chico, Dani Bonani e Vivi Suave, vestidos a caráter. De tão aclamada, a performance já foi feita até por famosos como Maria Fernanda Cândido e Adriana Garambone no palco do Clube Caravaggio.

- “Quatro Semanas de Amor” – Luan e Vanessa: tirada do álbum “Luan & Vanessa”, de 1989, a música é uma versão em português para “Sealed with a Kiss”, gravada por Brian Hyland. Vanessa participou do Trem da Alegria até virar adolescente e ser obrigada a sair do grupo. Então, encontrou Luan, formaram a dupla e lançaram este único hit. Casaram e agora têm o projeto gospel “Cantores de Deus”, com mais três pessoas.

- “Amigos do Peito” – Turma do Balão Mágico e Fábio Jr.: canção retirada do disco “A Turma do Balão Mágico”, de 1984. Neste mesmo ano, foi gravado um especial para a faixa Sexta Super da Rede Globo, para divulgar o LP. Já na abertura, Fábio Jr. dirige um calhambeque no Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro e canta a música, que apresenta os integrantes do Balão. Sucesso garantido no telão da Trash.

- “Vou de Táxi” – Angélica: em 1988, Angélica lança álbum homônimo com uma versão para a canção “Joe Le Taxi”, da americana Vanessa Paradis (senhora Johnny Depp). Ainda era a estrela de programas como o “Clube da Criança” e o “Milk Shake” da TV Manchete. Quando lançou sua boneca, no fim do mesmo ano, incluiu uma fita cassete com esta e outras músicas na caixa do brinquedo.

- “Comer, Comer” – Brazilian Genghis Khan: vinda do disco “Brazilian Genghis Khan”, de 1984, fez grande sucesso depois de ser incluída na trilha da novela mexicana “Chispita”, exibida pela então TVS. A banda já se apresentou na Trash duas vezes. Uma delas, no aniversário de um ano da festa.

- “Mamma Maria” – Grafite: foi lançada em compacto homônimo de 1983. Saía da proposta new wave do Grafite, mas foi o maior hit da banda. Era uma versão pra uma canção dos italianos do Ricchi & Poveri.

- “Amante Profissional” – Herva Doce: de 1985, foi retirada do álbum de mesmo nome. O Herva Doce foi criado em 1982 e teve no “Amante…”, e em outras canções como “Erva Venososa” (posteriormente regravada por Rita Lee) e “O Pica-Pau” (que tiraram do repertório da Jovem Guarda) outros grandes hits.

- “Sândalo de Dândi” – Metrô: lançada no LP “Olhar”, de 1985. O Metrô foi outra banda new wave que surgiu em meados dos anos 80. Também é dono de outros sucessos como “Tudo Pode Mudar” e “Beat Acelerado”. O baterista do grupo, Dany Roland, ficou famoso à época por ser o Fernandinho do comercial das camisas USTop, e a vocalista Virginie também trabalhou como atriz na novela “Os Imigrantes”, da TV Bandeirantes.

- “Me Chama que Eu Vou” – Sidney Magal: extraída do LP “Magal”, de 1990. Foi tema de abertura da novela “Rainha da Sucata” e é uma das lambadas mais famosas do período. Sidney Magal já fez vários shows na Trash, sendo o último para comemorar um ano da filial Vila Olímpia.

- “É Bom para o Moral” – Rita Cadillac: pela primeira vez em CD, a música foi retirada de um compacto que leva o nome da ex-chacrete, de 1984. Um dos bumbuns mais comentados da década de neon, Rita já fez shows na Trash e participou com esta canção do filme “Carandiru”, de Hector Babenco, por ser considerada Rainha dos Presidiários.

- “Marron Glacê” – Ronaldo Resedá: também pela primeira vez em CD, foi retirada do LP “Ronaldo Resedá”, de 1979 e serviu de trilha sonora para a novela “Marron Glacê”, da Rede Globo. Ronaldo era bailarino e chegou a dar aulas para estrelas como Marília Pêra e Lucélia Santos. Morreu em 1984, por complicações decorrentes de AIDS.

- “Eu Sobrevivo” – Vanusa: versão em português de “I Will Survive” de Gloria Gaynor, foi gravada no disco “Vanusa”, de 1981. A cantora surgiu ainda na época da Jovem Guarda, como uma concorrente da ternurinha Wanderléia. Curiosidade: o autor desta versão é o “mago” Paulo Coelho.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente