Por Roberta Ribeiro para Trash 80’s

Festa de aniversário é sempre a mesma coisa. Reunião de amigos, bolo, música ambiente. Mas em 2002, o DJ Eneas Neto resolveu que faria algo diferente. Já fazia algum tempo que ele e o também DJ Tonyy trocavam músicas dos anos 80 e riam com a história. Por que não tocá-las no aniversário? E por que não fazer o evento no Centro de São Paulo, já que ele refletia boa parte da história da cidade de 20 anos atrás?

Com Alisson Gothz na porta, em 4 de maio de 2002, acontecia a primeira Trash 80’s. Muitos amigos, como se esperava de uma comemoração e, nas semanas seguintes, amigos dos amigos. Já que as pessoas gostaram, deixar a festa por mais um mês não foi decisão difícil.

Em sua terceira edição, no terceiro sábado de maio, a primeira tematização: um tributo à Olivia Newton-John. Na recém-criada “Xanadu” paulistana, nada mais justo. Daí em diante, finalmente pode-se dizer que a festa passou a ter uma programação, pensada com (não muita) antecipação. E a idéia de limitar o tempo em que a festa perduraria desapareceu.

Divulgação foi algo com que a festa sempre contou. E não só pelos flyers que eram distribuídos pela cidade. De blog em blog, as histórias sobre a festa do Centro que só tocava a parte nada séria de duas décadas atrás e em que carão e desrespeito não entravam (e não entram) se espalharam. Até por isso, ainda no meio de junho de 2002, criou-se a Trash Bloggers, onde dois blogueiros podiam comandar a pista por uma hora. Na primeira, Ginger e Psychofreud foram os escolhidos. No mesmo ano, aconteceriam mais três versões da festa.

Da mesma forma, a interação com outras festas e sites também marcou os primeiros meses da Trash. Grind, Autobahn, Infância 80 e Spirit of 80’s enviaram seus representantes para os picapes do Hotel onde a festa permaneceu alguns meses. Da Domingueira @aburda, o enviado foi um daqueles personagens que não deixariam mais a Trash 80’s: Wander Yukio.

Como ninguém fazia idéia de quanto mais a farra duraria, 2002 também foi o ano dos “especiais” nas programações da Trash. Cinema, black, mix, sexy, novelas, infantil. Até uma versão anos 70 apareceu!

Truque? O primeiro de que se tem notícia, deve-se ao querido e temido Alisson Gothz. Afinal, na estréia de seu coletivo de DJs Miami Superstars, anunciava-se uma turnê mundial do trio, formado com Danilo e Bia Poveza. Mas da tal viagem pelo mundo, ficou só a lenda. Parece que eles queriam mesmo era provar o gostinho de ter a pista da Trash nas mãos.

Dezembro chegou, passou e… Bom, sobre 2003, fala-se na semana que vem.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente