Sempre ouvi falar muito da Trash 80′s, mas não conseguia ir de jeito nenhum, na hora o povo desistia. Uma certa semana de julho de 2005, eu resolvi que iria nem que fosse sozinha e comentei com uns amigos, que aceitaram minha proposta de balada, mas ficaram com os dois pés atrás, meio “Essa é doida, onde vai nos meter dessa vez?!”

Fiquei um tempão na fila porque não sabia da listinha, mas firme e forte no meu propósito. Quando entrei a primeira impressão foi “Nossa, que louco, diferente, quanta gente!” e fiquei de boca aberta.

Conforme as músicas foram rolando, meus amigos foram se soltando e até rolou de dois amigos começarem um namoro lá, que deu em casamento em 11 de março desta ano. E lógico que sou madrinha. Dancei muito, pulei, cantei, coloquei todos os demônios pra fora e sai de lá leve e feliz. Desse dia em diante, eu me tornei uma viciada em Trash. Só falo da Trash 80′s, comparo todas as outras baladas com “o cortiço”.

Sempre falo para minha amiga Claudinha (outra viciada), que tem algo que sai do ar condicionado e vicia a gente a ser feliz na Trash 80′s.
SOU TRASHER ASSUMIDA!

As três coisas de que mais gosto:
- não ao preconceito
- a felicidade estampada no rosto de todos
- as músicas e os passinhos

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente