Natal de 2004, hotel Cambridge. Foi lá que tudo começou. Querendo mudar um pouco de balada e fugir do tradicional Natal “família, peru e Missa do Galo”, fui me aventurar na Trash. De cara fui recebida de braços abertos na comunidade do Orkut e já cheguei lá com novas amizades.

Fiquei maravilhada. Cada música que ouvia me remetia a uma história, uma parte da minha vida que eu nem lembrava mais. E ria sozinha, meio constrangida de imaginar que aquele povo poderia me achar uma louca. Mas não tardou muito para eu perceber que eu tinha encontrado meu hospício.

Mas logo em seguida a Trash entrou em férias, e tive de esperar até o dia 06 de janeiro. Dessa vez, Pop Trash no Caravaggio. Logo de cara comprei a briga e resolvi ir a caráter na noite Pornô Royalle… Só de andar pelo centro da cidade daquele jeito já valeu boas gargalhadas…

E assim foi, semana após semana, conhecendo muita gente boa, gente que hoje nem freqüenta mais a Trash, mas que continuo amiga, que foi me viciando nesse lugar. Até eu decidir tirar umas férias e dar uma sumida de lá, enquanto resolvia algumas questões pessoais.

Quando a Trash já fazia parte de um passado gostoso, não é que sou abordada em plena Avenida Paulista por um antigo amigo trasher? Não teve jeito, foi ele me chamar e eu aparecer novamente em pleno carnaval na Boulevard São João, reencontrar gente que eu adorava e ainda conhecer a turma nova… e o resto é história.

Cá estou eu novamente batendo cartão na Trash, me divertindo, extravasando, sendo feliz… é como no filme “Cabaret”: “Deixe seus problemas lá fora. Aqui a vida é linda.”

O que mais gosto na Trash:

- Ser você mesmo e se divertir de verdade, sem medo do que os outros vão pensar ou dizer… Até porque todos estão surtando juntos, mesmo!

- Lembrar, através das músicas, tudo o que já aconteceu de bom e ainda ter essa trilha sonora para novos momentos felizes.

- Os trashers de verdade, que sempre dão a maior força pras festas rolarem, se caracterizam, fazem performances e ainda estão sempre de braços abertos.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente