Por Roberta Ribeiro para Trash 80´s

Se alguém pode ser responsabilizado por muitas tardes de diversão na infância de quem viveu os anos 80, este é John Hughes. Roteirista e diretor, ele assina vários dos clássicos da Sessão da Tarde (que, aliás, são exibidos até hoje!).

Ainda em 1984, ele dirigiu “Gatinhas e Gatões” (“Sixteen Candles”), que traz Molly Ringwald no papel de Samantha Baker, uma adolescente que, ao completar 16 anos, está apaixonada pelo bonitão da escola. O tal bonitão nem sabe da existência dela e ainda namora outra bela garota. Para piorar, a família de Samantha esquece de seu aniversário, pois está ocupada com o casamento da filha mais velha. Roteiro assinado também por Hughes, que logo de cara já mostrou talento para falar com o público adolescente.

Apenas um ano depois, Hughes trouxe ao mundo duas de suas obras mais famosas: “O Clube dos Cinco” (“The Breakfast Club”) e “Mulher Nota Mil” (“Weird Science”). O primeiro é cultuado por trazer a rebeldia típica da fase pré-adulta para as telas. Já o segundo, tem na monumental Kelly LeBrock um dos maiores atrativos. Que menino não sonharia em ter a mulher perfeita?

Agora, nada do que se diga sobre John Hughes fará sentido se não houver menção àquele que pode ser considerado sua obra-prima. “Curtindo a Vida Adoidado” (“Ferris Bueller’s Day Off”), de 1986, é daqueles filmes que dificilmente alguém não viu. O que a maior parte das pessoas não sabem é que Mattew Broderick, intérprete de Ferris, já tinha 23 anos quando fez o filme (onde tem 17). Incrível? O que dizer então Alan Ruck, o Cameron, melhor amigo de Ferris. O ator já tinha 30 anos quando encarnou o adolescente. E para quem gosta de curiosidades, a irmã dedo-duro do protagonista é ninguém mais, ninguém menos que Jennifer Grey, a Babe de “Dirty Dancing”. Mais? Charlie Sheen faz uma ponta como o drogado que paquera a irmã de Bueller na delegacia. Muitos outros detalhes podem ser encontrados sobre o filme com uma simples pesquisa na rede.

E o diretor ainda tem participações em filmes como “A Garota de Rosa Shocking” (“Pretty in Pink”), “Esqueceram de Mim” (“Home Alone”) e “Ela Vai Ter um Bebê” (“She’s Having a Baby”). Com esse currículo, pode-se dizer que a Sessão da Tarde tem um diretor-rei. E o nome dele é John Hughes.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente