Comecei a freqüentar a Trash em agosto de 2005, pois meu amigo Edinho, hoje da “Trupe Trash”, vivia me falando da festa que tocava Xuxa e, como sempre fui fã, resolvi conferir. Fomos justamente no dia em que teve uma noite especial da rainha dos baixinhos, era o “Xuper Xou du Tréxi”!

Fantástico, surreal, aquele lugar lembrava meu quarto de criança, cheio de fotos nas paredes, penduricalhos no teto, todo colorido. Pronto, o suficiente para me apaixonar de imediato, morrer de rir, dançar sem medo, relembrar uma época em que tudo parecia um sonho.

Depois desse dia, voltávamos sempre que precisávamos extravasar ou quando um tema ou performance nos chamava a atenção. Adoro a festa, principalmente às quintas, quando começa com karaokê e termina com um repertório incrível e delicioso de músicas infantis.

Conheci pessoas que, de alguma forma, mudaram minha vida e que farão parte dela sempre… não existe outra festa que me faça mais feliz, mais atriz, mais louca, mais eu mesma!

Enfim, viciei neste mundo Trash 80’s, um mundo à parte, onde não existe nenhum tipo de preconceito, somente pessoas com muita vontade de se divertir, fazer novas amizades, conquistas, esquecendo os problemas e em busca de algo que possa fazer toda a diferença.

As três coisas de que mais gosto na Trash 80’s:
1- Liberdade de expressão
2- DJ Wander
3- Shows com Massita e Uras

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente