Arquivo do mês: agosto 2005

Agosto na Trash 80’s Centro é tradicionalmente o mês dos machos. Por isso a programação das sextas e sábados na “matriz” é dedicada aos homens da festa. Ídolos e habitués da Trash serão homenageados em shows, tributos e discotecagens especiais. Na Vila Olímpia, lembre-se da rivalidade histórica: meninos X meninas em quatro noites divertidíssimas, mais uma sexta especial. Pop Trash comemora um ano de muito sucesso com festas que prometem… assim como a Matinê 90’s, pra quem não se satisfaz apenas com sucessos 80’s. Confira a programação completa:

Qui. – 4/8 – Pop Trash Noite das Leoninas
Uma noite de hostess: Fabiana “D”
Performance ABSURDA surpresa
DJ convidada: Fabi Ribeiro

Quinto signo do zodíaco, os leoninos têm fama de serem muito vaidosos e de gostarem muito de chamar a atenção. Na noite das leoninas na Pop Trash, vão se realizar! Hostess e DJ são representantes do signo e de primeira qualidade! Então, não perca a primeira Pop Trash de agosto!

Sex. – 5/8 – Trash Centro – Tributo ao Schwarzenegger
Eleja o “Arnold Schwarzenegger” da Trash
Atualmente governador da ensolarada Califórnia, o austríaco naturalizado norte-americano Arnold Schwarzenegger é cheio de predicados: músculos, poder e ainda um QI acima da média. Na Trash, quem será capaz de representar o fenômeno de “O Exterminador do Futuro”?

Sáb. – 6/8 – Trash Centro – Os 3 “Temores” In Concert
DJ convidado: Nando Champss
Performance: Manny, Nando e Massita cantam clássicos cafonas dos anos 80

Na noite em que o “varrido” Nando Champss toca suas preferidas na cabine da Trash, ele também convida os amigos Manny Curi e Massita para formarem um trio de cantores que entoar músicas cafonas para a pista da Trash. É ouvir para crer!

Sáb. – 6/8 – Trash 80’s Vila Olímpia – Garotas de Rosa Shocking

Performances com a trupe teatral Deboshow
Meninas vestindo cor-de-rosa pagam apenas R$ 15 de entrada
Como já disse Rita Lee: “Por isso não provoque / É cor-de-rosa choque”. A cor que representa as meninas também dá desconto na entrada neste sábado, para todas as meninas capricharem no visual Penélope Charmosa! E ainda tem Deboshow, com esquetes para rir muito!

Dom. – 7/8 – Matinê Orkontro 90’s
DJs convidados: Ana Claudia e Danilo “Cowboy Viado”
Orkuteiros de primeira hora, Ana Claudia e Danilo “Cowboy Viado” estão sempre nas comunidades da Trash, com comentários sobre o que aconteceu na semana que passou e opiniões sobre o que deve haver na festa. E nesta semana, é a vez deles também comandarem os picapes, para serem comentados depois!

Qui. – 11/8 – Pop Trash a Batcaverna é aqui!
Uma noite de hostess: Thadoida
Performance: Gotham Trashers
DJ convidada: Karina Penna

Quem disse que a Trash não tem super-heróis? Os Gotham Trashers deixam suas residências em Guarulhos, aliás, Gotham e vêm à Pop Trash para mostrar como se faz festa de verdade! A bela Thadoida recebe os que chegam, enquanto Karina, a heroína, comanda o som por uma hora. Não perca!

Sex. – 12/8 – Trash Centro – Ídolo Trash
Show com a banda Polegar
“Sou Como Sou”, “Dá Pra Mim” e “Ela Não Liga” são só alguns dos sucessos que o Polegar promete tocar no show da Trash 80’s! A boy band que levava as meninas ao delírio e que foi copiada por várias bandas de meninos nas garagens dos anos 80 vai fazer o palquinho tremer!

Sex. – 12/8 – Trash 80’s Vila Olímpia – Especial Trash Total
O melhor do pior de todos os tempos!
Shows com Rodney Dy e Markito

Na sexta-feira da Trash 80’s Vila Olímpia, as músicas mais cafonas e queridas de todas as décadas ganham vez! Claro, o rei dos “Piores Clipes do Mundo” e das pamonhas Rodney Dy e o assistente de palco mais engraçado e “bonito” de todos os tempos Markito não poderiam ficar de fora dessa! Imperdível!

Sáb. – 13/8 – Trash Centro – Trash Bofescândalo
DJ convidado: Tchago
“Ai que… bofescândalo!”. Quem nunca passou por um belo exemplar do sexo masculino e pensou isso, mesmo que com outras palavras? E são esses moços os homenageados deste sábado, com Tchago, outro belíssimo exemplar de bofe nas cabines, para tocar suas preferidas!

Sáb. – 13/8 – Trash 80’s Vila Olímpia – Ídolo Trash
Show com a boy band Polegar
Em meados da década de 80, era impossível ligar o rádio e não ouvir músicas como “Dá Pra Mim” e “Ela Não Liga”. Era o Polegar, boy band criada pela Promoart de Gugu Liberato, dona de sucessos que até hoje animam por onde tocam. E os meninos vão estar neste sábado na Trash 80’s Vila Olímpia!

Dom. – 14/8 – Matinê Sexy 90’s
DJ convidada: Shakira
As festas Sexy Trash já são tradição na Trash 80’s. Desta vez, ela acontece durante a matinê e com um som especial, voltado para os anos 90. Uma das maiores musas da Trash, hors concours da simpatia e da beleza, Shakira, escolhe suas músicas favoritas e faz os trashers delirarem!

Qui. – 18/8 – 1 ano de POP Trash

Uma noite de hostess: Eva
Shows com Nany People, Rodney Dy e Dolly & Dolly
DJ convidada: Ddéia Andrade

Uma festa que tocasse o melhor do pior de todos os tempos e que contasse sempre com muita participação do público. Foi assim que há um ano, nascia a Pop Trash! Na festa de primeira aniversário, muitos shows e misses na porta e na cabine! Venha cantar parabéns com o Rafinha e o Wander!

Sex. – 19/8 – Trash Centro – Esquadrão Trash
Concorra ao box de DVDs do seriado Esquadrão Classe A

Heróis ou bandidos? Esta é uma das perguntas que quem assistia “Esquadrão Classe A” na década de 80 se fazia sempre. Afinal, apesar de fazerem o bem, eles são fugitivos da polícia! Quer ter sua própria opinião a respeito? Então vá à Trash nesta sexta e torça para ganhar o box do seriado!

Sáb. – 20/8 – Trash Centro – Trash TV Macho
DJ convidado: Marcio Salles
O que os machos da Trash querem assistir? O que faz esses irrequietos moços que freqüentam a festa pararem por alguns minutos e prestarem atenção? Essas e outras respostas num programa produzido especialmente para eles. E ainda tem o super macho do Clube Caravaggio Marcio Salles nos picapes!

Sáb. – 20/8 – Trash 80’s Vila Olímpia – Trashers on the Block
Show com Massita & Uras
Performance com Rafinha Bastos e sua gang

Os gatíssimos Massita & Uras cantam os principais hits das boys bands que fizeram a década de 80 tremer: Menudo, Dominó, Polegar e, claro, New Kids on the Block! E ainda tem o VJ e perturbado de plantão Rafinha Bastos e sua gang em mais uma performance hilariante!

Dom. – 21/8 – Matinê Ursound
DJs Rodrigo LC e Daniel NS
DJ convidado: Edu Atlantis

www.ursound.tk
A comunidade gay mais fofa de todos os tempos volta a comandar a festa neste domingo, com mais uma Matinê Ursound. Aliás, para a felicidade dos trashers, os ursos têm residência mensal na Trash, e tocam todas as músicas para deixar a “floresta” em festa!

Qui. – 25/8 – Pop Trash the Oriental Magic Trashers

Uma noite de hostess: Raquel Watanabe
Performance: Craudio & Wander Yukio
DJ convidado: Bernard

Os olhos puxadinhos vão ganhar uma festa especial na Pop Trash desta quinta. Da hostess ao DJ convidado, passando pela performance, japas, coreanos, chineses e orientais de todas as origens são homenageados. Mas os ocidentais não precisam ficar tristes: também são muito bem-vindos!

Sex. – 26/8 – Trash Centro – Web Trash
DJs convidados: Cesar Cabral e Pepe Filho
Este mês, a festa da rede na Trash traz dois machos bem conhecidos do público, tanto no real, quanto no virtual. Cesar Cabral, sempre sorrindo e com uma alegria ímpar. E Pepe Filho, com seu jeito animado e simpático, o mesmo que mostra na lista do grupo da Trash. Venha conferir!

Sáb. – 27/8 – Trash Centro – Super Trash Mister Trash

Final do concurso – torça por seu candidato preferido!
Não tem jeito! Catatau (ou, se chegar da Espanha a tempo, Gus) vai ter que passar o cinturão de Mister neste sábado! Quem será o novo representante masculino da Trash? Quem reinará com a Miss Evão do Caminhão? Organize a torcida por seu candidato favorito e apareça na Trash para ajudá-lo!

Sáb. – 27/8 – Trash 80’s Vila Olímpia – Girls Just Wanna Have Fun! – Ben
ê
Um tributo à Cyndi Lauper
Performance com Dolly & Dolly

Trash Benê! Doe 1 kg de alimento não perecível e pague só R$ 15 de entrada
Diversão e solidariedade se unem mais uma vez na edição de agosto da Trash Benê na Vila Olímpia! Desta vez, Dolly & Dolly fazem uma homenagem à Cindy Lauper e ajudam a Associação de Pais e Amigos da Criança com Deficiência Neuro-Motora! Quer ajudar também? Doe, compre os produtos da Benê e caia na farra!

Dom. – 28/8 – Matinê Trash Benê
DJ convidada: Roberta Ribeiro
Doe 1 kg de alimento não-perecível e seja VIP até às 20h
www.trash80s.com.br/trashbene
A Associação de Pais e Amigos da Criança com Deficiência Neuro-Motora (APAC) precisa muito de ajuda. E a Trash Benê de agosto se solidariza e faz sua parte. Doe alimentos não-perecíveis, compre os produtos da Benê e divirta-se! E na cabine, a ansiosa Roberta promete pôr o sorriso no rosto de quem colaborar!

Riso e Paixão

Magia e Sonho

Alegria e Fascínio

Odisséia…

Tudo começou nos idos de outubro de 2004, quando minha então ex-coleguinha de escola Ju Farano (sim, meu monstro criador originário!) me chamou para seu aniversário na Trash. Foi uma Pop Trash. A partir daí, entre o sono e o sonho, entre mim e o que há em mim, muito mais do que a diversão garantida, veio a magia.

Seduzida com a proposta, uma festa 80´s no Centro de São Paulo com muita caricatice, meio tímida (sim, eu era tímida no começo!), voltei. Voltei outro dia, e outro e mais outro. Então, o fascínio. Do fascínio ao vício. E meus dias decerto nunca mais foram iguais. Até parece um grande exagero dizer isso, palavras fortes, mas quem vive no mundo Trash sabe que, quando muito, trata-se de um mero eufemismo.

E depois de impagáveis dez meses, muita diversão, muita double vodka, blackout, muito palquinho, chão, pessoas, beijos, risadas, fotos, até performance (!!!), e muitos, muitos amigos: paixão. Conheci pessoas realmente incríveis e especiais na Trash, que dia após dia, se tornam mais presentes, constantes e necessárias no meu mundo, na minha rotina. E veio o Mezzanino (uma honra fazer parte!), vieram os churrascos, viagens, tudo! A Trash é de fato um lugar fora do senso comum, é mágico, brilha, inspira, seduz, acontece. Na Trash todo mundo é o que é, não há espaço para “linhas”, lá as pessoas escancaram mesmo, arrancam a moldura e jogam a alma e isso faz esse lugar contagiante. Alegria. Enfim, palavras são insuficientes para esgotar meu mundo Trash, meu mundo com os trashers.

Divaguei. Fiquei e fico muito feliz de fazer parte disso tudo, de ter conhecido esta festa que é pura diversão, de fazer parte dela, de ter conhecido pessoas tão únicas! Quero mesmo que esta odisséia seja muito longa, duradoura e cada vez mais sólida!

E arrematando com meu TOP 3:

Melhores Músicas: “Like a Virgin”, “Freedom” e “Girl Just Wanna Have Fun”.

Pra cantar no karaokê da Pop: “Só Você”, “Exagerado” e “Caça e Caçador”.

Melhor clipe: o do Gremlin ! Foi absurdo! Chorei.

Por Roberta Ribeiro para Trash 80’s

Popular. Engraçado. Bizarro. São vários os adjetivos que podem definir Marquito, o ex-assistente de palco e figura non sense dos programas de Ratinho e Raul Gil, entre outros. Em entrevista à Trash 80’s, o comediante fala sobre sua carreira e sua expectativa para o Especial Trash Total desta sexta-feira.

Trash: Onde e quando iniciou sua carreira?
Marquito: Comecei minha carreira com 18, 19 anos, fazendo shows em boates, casas noturnas e circos da cidade. Aí, acabei indo trabalhar com Raul Gil e fui o primeiro Robô do quadro “O Que É o Que É”. Depois fui trabalhar com o Barros de Alencar e aí nunca mais parei.

Trash: Você é um artista performático. Se tivesse que definir sua profissão, qual seria ela?
Marquito: Ator e humorista. Sou um comediante, é disso que vivo, essa é minha arte!

Trash: Qual foi o maior sacrifício que já fez em nome de sua arte?
Marquito: Todo o começo de carreira é um sacrifício. Enquanto o reconhecimento do público não vem, as coisas são muito difíceis. Conquistar o público é complicado, você tem que ser carismático, ter talento e, ao mesmo tempo, ser humilde, não só no começo da carreira, mas durante todo o tempo em que trabalha. É difícil ser artista, conquistar realmente o público.

Trash: Como você cria suas performances?
Marquito: Eu ouço música o tempo inteiro, principalmente os lançamentos. A partir delas, crio minhas performances. A música me inspira, anoto tudo o que penso num caderno e ponho em prática. Mesmo músicas que não são famosas entram para minhas performances, se eu gostar delas. Já usei muita música que depois ficou famosa.

Trash: De onde surgiu a idéia de dublar músicas em alta rotação?
Marquito: O primeiro dublador que vi foi Charles Chaplin. Também me inspiro muito no Jimmy Pipiolo, um artista chileno de idade muito bom. Tinha o Rony Cócegas, que fazia esse número, mas era sempre do mesmo jeito, com a mesma música. Aí, meu tio Raul Gil viu e perguntou por que eu não fazia alguma coisa naquele estilo. Eu tive que arrancar todos os dentes da boca, acabei ficando engraçado. E resolvi criar em cima das músicas em alta rotação, pra ficar mais engraçado ainda. A maioria dos artistas dubla pra fazer piada. Mas é sempre a mesma piada, ninguém inventa nada de novo. Eu não. Eu crio em cima das músicas, faço performances diferentes.

Trash: Qual a melhor parte da carreira artística? E a pior?
Marquito: A melhor parte é perceber que se é sucesso, que seu trabalho dá Ibope. Conquistar o público, ter fãs é muito bom! A pior parte é ser esquecido. Sabe o que acontece com o artista que é esquecido? Vai parar num asilo de artistas. Tem um monte por aí. O sucesso é uma coisa que vai embora muito rápido. Hoje em dia, quem se lembra das bandas de pagode que eram sucesso há um tempo atrás? E aqueles artistas que faziam sucesso, eram uma loucura há algumas décadas? Isso é o pior. E para não ser esquecido, tem que ter muito carisma e certeza do que se faz. Trabalhei com o Ratinho, com o Barros de Alencar, com o Raul Gil e sei que eles me ajudaram muito. Mas eu também os ajudei, também ajudei a levantar a audiência deles. Quando trabalhava com o Raul, tinha muita gente que achava que só trabalhava lá porque era sobrinho dele. Depois que fui trabalhar com outros apresentadores e consegui fazer mais sucesso é que perceberam que não era só porque era sobrinho. É porque tinha carisma mesmo. Por isso não tenho medo de ser esquecido. Muita gente não sabe, mas eu era campeão de cartas e e-mails no “Programa do Ratinho”. E tenho certeza que até hoje tem gente que pergunta por mim e manda e-mail pro programa perguntando do Marquito. Por isso, estou tranqüilo, sei que não vou ficar esquecido.

Trash: O que espera de sua apresentação na Trash 80’s?
Marquito: Levar muita alegria aos fãs do Marquito que vão à festa e fazer todo mundo rir e se divertir muito. Essa é a minha maior felicidade!


Por Roberta Ribeiro para Trash 80’s

Durante os áureos tempos dos “Piores Clipes do Mundo” na MTV, Rodney Dy foi considerado rei, ao lado do punk-mauricinho Supla. O “Funk da Pamonha” virou hit e fez muita gente cantar e rir. Nesta semana, a Trash 80’s Vila Olímpia ganha a chance de ver Rodney de perto!

Você realmente trabalhou com pamonhas ou só fez a música em homenagem a elas?
Eu tinha um estande de pamonhas no supermercado e, de vez em quando, saía com um dos dois Fusquinhas de propaganda por aí, para anunciar outros produtos que estavam em oferta. Aí, sempre vinha alguém que me conhecia e perguntava: “Vende pamonha aqui também?” e eu imitava aquele carro de pamonha que passava na rua. Aí acabei criando a música, depois.

Em seu site oficial você dá a receita de curau e para fazer um clipe de sucesso na MTV. Qual era sua intenção quando gravou e fez o clipe do “Funk da Pamonha”?
Na verdade, foi um processo lento. Demorou seis anos pra música fazer sucesso. Gravei a música e ela ficou muito famosa nas arenas de lambaeróbica da praia. Foi nessas arenas de verão que surgiu a coreografia. Aí a música ficou famosa de Bertioga a Ubatuba. Eu era instrutor de uma marca de refrigerantes nessas arenas e, com o sucesso, resolvi fazer o clipe. Aí, vi o “Piores Clipes”, quando já estava na metade da produção. Resolvi tentar e escrachei da metade pra frente, que é onde dá pra ver até espinha na bunda das bailarinas.

O fato de ser considerado um dos reis dos “Piores Clipes do Mundo” da MTV nunca o incomodou?
Não, eu pensei no clipe para derrubar o Supla no programa! A intenção era ser o rei mesmo. Assim como o Rafinha [VJ e DJ da Trash 80’s] , eu tinha uma câmera na mão e idéias de jerico na cabeça. Aí, fiz o clipe e consegui o que queria, ele foi pro “Piores…”.

Atualmente você tem algum projeto em execução? O que virá depois da pamonha?
Estou com projeto novo. Quero pegar músicas dos anos 80 e colocar em batidas modernas. Algo parecido com o que fizeram em “Cowboy Viado”, do União Total. Mas a música de trabalho agora, que já tem clipe também é “Espetinho da Guria”, que está tocando muito no sul. É um vaneirão moderno. [Vaneirão é um ritmo gaúcho]. Sou de Porto Alegre, né?

“Se eu te dou minha pamonha / Tu me dá o seu curau” é um dos versos mais famosos de sua música. Para quem você cantaria esses versos?
Ah, pode ser pra qualquer pessoa? Então pra Daniella Cicarelli. Ela é grandona, deve ter um curau grande (risos).

Como lida com os fãs?
Na verdade, existem dois tipos de pessoas que falam comigo: os que adoram a “Pamonha” e não acreditam quando dão de cara comigo; e aqueles que odeiam e querem me bater. Ainda bem que a maioria gosta, né? (risos) Falo sempre com os fãs pelo Orkut também. É uma ótima ferramenta.

O que você achou da Trash 80’s em sua apresentação no Centro? Qual sua expectativa para o show na Vila Olímpia?
Eu adorei a Trash 80’s Centro, principalmente as coreografias que o Catatau e os freqüentadores fazem. Eles fazem gestos nas músicas, e até eu, que não sou um bom dançarino, consigo aprender! E quero fazer um show muito bom na Vila Olímpia. Faz muito tempo que não toco lá, quero rever a galera. E vou tocar versões de “Meu Pipi no Seu Popô” e de “Bomba”, além do “Funk da Pamonha” e “Espetinho da Guria”. Ah, e também não vejo a hora de rever o Marquito! (risos)