Bem, conheci a Trash em julho de 2003. Não sou muito de baladas, mas queria um lugar diferente para comemorar meu aniversário.

Já tinha ouvido umas meninas que estudavam comigo comentarem de uma “festa em um hotel no centro, em que tocava Menudo”. Ah, era aí mesmo! Mas eu não sabia o nome da festa nem nada.

Um dia, na sala de espera do dentista, peguei a Vejinha para ler. Comecei a ler a matéria da “Menina Veneno” e não acreditava: tinha achado a balada!

Lá fomos nós para a Trash, no dia 5 de julho de 2003. Cheguei cedo, estava vazio ainda. Sabia que era tributo ao Boy George, mas daí a dar de cara com o Alisson de cover, foi demais! Não botei muita fé de que ia encher, achei que ia ser tudo um horror. Pra minha surpresa, à meia noite já não tinha nem lugar pra dançar direito.

Dancei a noite toda, acho que nunca tinha feito isso na vida! Saí de lá achando tudo o máximo, prometi voltar, mas só de vez em quando. Isso só aconteceu quando rolou a festa do Menudo. Depois desse dia é que eu tive certeza que a Trash era tudo de bom. Afinal, eu e a Analu (as mocinhas da parede!) passamos umas doze horas lá, ajudando na decoração e a tirar todos os pôsteres que estavam na parede.

Daí pra frente, a Trash só meu trouxe alegrias. Conheci muitas pessoas maravilhosas. As amizades que nascem na Trash são tão fortes que mesmo depois de tempos longe não tem como esquecer pessoas tão queridas!

Onde mais eu poderia ver show do Inimigos do Rei, Polegar, Magal? Fora a minha noite de DJ! Tem coisas que só a Trash 80’s faz por você!

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente