Por Roberta Ribeiro para Trash 80´s

Em 9 de agosto de 1963 nascia em Newark, New Jersey, Whitney Elizabeth Houston, filha de Cissy e John Houston. A mãe, também cantora, não pôde ficar em casa para cuidar da filha. Amiga de nomes como Aretha Franklin, Cissy chegou a ter discos gravados e tão logo se recuperou do parto voltou para a estrada, numa turnê, deixando a pequena sob os cuidados do pai. Daí dá para saber de onde vem o talento da menina para a música.

Com apenas 11 anos, Whitney fez seu primeiro solo, na igreja batista que sua família freqüentava. Fixou os olhos num relógio, no fundo da capela e cantou “Guide Me, O Thou Great Jehovav”. Quando acabou, os fiéis aplaudiram e choraram com o que haviam presenciado. Começava assim uma carreira de muito sucesso.

Antes de gravar um disco, Whitney chegou a ser modelo. Fez capas de revistas famosas nos Estados Unidos, como “Cosmopolitan”, “Glamour” e “Seventeen”.

Mas não era por sua aparência que ela ficaria conhecida. Ainda em 1983, Clive Davis, presidente da Arista Records, assistiu a uma apresentação dela num bar nova-iorquino. Impressionado, resolveu contratá-la. Porém, com medo de que sua juventude e inexperiência a fizessem ser cantora de um hit só, decidiu montar uma grande operação para produzir o primeiro álbum da cantora. “Whitney Houston” só chegou às lojas em fevereiro de 1985. Só nos Estados Unidos foram vendidas 14 milhões de cópias e o LP se tornou o maior sucesso de uma artista negra em todos os tempos.

Sucesso que cresceu ainda mais com outros álbuns: “Whitney”, de 1987 e “I’m Your Baby Tonight”, de 1990”. Músicas como “Greatest Love of All”, “Saving All My Love for You”, “So Emotional” e “All the Man that I Need” são desses três primeiros discos.

Contudo, o maior sucesso da carreira da diva só viria no começo da década de 90, com o filme “O Guarda-Costas”. Ao lado do então badalado Kevin Costner, Whitney interpretou uma cantora-atriz que se envolvia com seu guarda-costas. A trilha sonora da película, com seis músicas de Houston, bateu recordes de venda e ultrapassou os 200 milhões de cópias.

Mesmo tendo casado com um rapper com fama de violento (Bobby Brown) e se envolvido em escândalos pelo uso de drogas, Whitney Houston manteve-se no topo das paradas mais importantes nos últimos vinte anos. E soube contornar, com tranqüilidade, todos os desafios impostos pela vida. Como as maiores musas sabem fazer.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente