Por Roberta Ribeiro para Trash 80´s

Não é qualquer mulher que consegue passar dos 50 anos e ainda merecer o posto de diva. Cherilyn Saskisian La Pierre, a Cher, conseguiu. Nascida em 20 de maio de 1946, a cantora e atriz já passou por inúmeros altos e baixos, mas raramente deixou de estar na mídia, em seus 42 anos de carreira.

Começou a cantar ainda na década de 60, com o então marido Salvattore “Sonny” Bono, com quem fazia dupla. Com uma mãe aspirante a atriz e um pai que só conheceu com 11 anos, quando ele saiu da prisão, não é de se estranhar que Cher fosse um tanto quanto insegura para encarar o palco sozinha. Com Sonny também manteve um programa de TV de muito sucesso nos Estados Unidos, que teve fim quando a musa resolveu pedir o divórcio. Do casal, nasceu uma filha, Chatity Sun Bono.

Em 1971, lança um álbum chamado “Gypsies, Tramps & Thieves”, com sucessos como “Half Breed” e “Dark Lady”. Ainda no meio da década, casa-se com Greg Allaman, com quem, em 1976, tem o filho Elijah Blue Allaman.

Nos anos 80, começar a atuar como atriz em seu primeiro filme, “Silkwood”, trabalha com Kurt Russel e Meryl Streep. E, logo de cara, ganha seu primeiro globo de Ouro. Segue no cinema, nem sempre com o mesmo sucesso, até que, em 1987, com seu personagem em “Feitiço da Lua”, recebe o Oscar de Melhor Atriz. No mesmo ano, lança o álbum “Cher”, que tem em “We All Found Someone” , seus grandes hits. Por fim, 1989 pões no mercado o disco “Heart of Stone” e, um ano depois a película “Minha Mãe é uma sereia”.

Na década de 90, se firma como ícone gay ao lançar o álbum “Believe”, com músicas como a que dá título ao CD e “Strong Enough”. “Believer” foi dedicado a Sonny, que morreu num acidente em 1998.

Por fim, em 2001, chegas ás lojas “Living in a Proof”, com as dançantes “Music is no Good without You Baby”, “A Song for the Lonely” e a “A differente Kind of Love Farewell Tour”, por ser a despedida de Cher das viagens para shows. Afinal, mesmo que ainda seja uma das mais citadas divas mundiais, ela também sente que o tempo passou e o pique já não é mais o mesmo. Daí a decisão de não se expor tanto e manter a qualidade de suas aparições. Opções dignas de quem venceu na vida com muito trabalho e glamour, é claro!

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente