A primeira vez que fui à Trash 80’s foi no meio de 2003, com a minha prima Déa e com minha amiga Claudinha. Fomos duas vezes, eu adorei, mas por algum motivo fiquei um bom tempo sem ir.

Voltei em julho de 2004, dessa vez com minhas duas primas, Déa e Nani. Aí o amor bateu!! Viciamos e não paramos mais de ir. Amava as músicas. Se no começo gostava mais das infantis, depois peguei gosto por todas!

Com o passar do tempo, fui conhecendo algumas pessoas que eram figurinhas carimbadas, fiz alguns amigos e, mesmo sem contato fora de lá, fico feliz toda vez que encontro.

Na Trash as coisas acontecem muito rápido. Você cria um carinho imenso por pessoas cujo nome descobriu há poucas semanas e parece conhecer há anos. Isso é único!

Sou completamente viciada na Trash 80’s. Ir a outro lugar não tem mais a menor graça e quero morrer quando fico um tempo sem ir. Mas, mesmo morando em outra cidade, não consigo ficar nem duas semanas longe.

Todas as minhas amigas e minha família juram que eu sou louca por só freqüentar um lugar, mas nem ligo mais… vai ver é verdade!

Só tenho a agradecer a todos que fazem dessa festa a melhor de São Paulo. Sou completamente apaixonada pela Trash 80’s e sou trasher com muito orgulho!

Como diz Ronaldo Resedá… “Toda essa gente louca… a festa nunca vai acabar!”

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente