Minha “primeira vez” com a Trash 80’s foi por volta de abril de 2003. Sempre ouvia falar sobre a festa diferente que rolava no Centro de São Paulo. Nunca havia conseguido ir, sempre alguma coisa atrapalhava os planos de ir pra Trash. Depois de muita embolação, conseguimos finalmente ir.

Era um sábado e uma amiga e eu tocamos para a Rua Álvaro de Carvalho. Ao chegar, surpresa total! Um lugar todo temático, da decoração às pessoas. Serpentinas e muitas coreografias.Um local realmente único. A cada música uma nova lembrança, músicas que eu não lembrava, mas que me peguei cantando e dançando também! Foi uma noite incrível, muito alto astral. E assim fiquei viciada.

Passei a freqüentar a Trash constantemente. Sim, viciei muitos amigos durante esses anos, e até meus chefes eu levei para conhecerem a famosa festa. Sozinha ou acompanhada, toda semana a programação já era conhecida por todos meus amigos: Trash.

Conheci muitas pessoas, ganhei novos e maravilhosos amigos e hoje a Trash não é simplesmente uma balada diferente que eu gosto de ir. É também o lugar que me anima se estou triste, é onde sei que vou encontrar as pessoas que eu gosto e que me fazem muitíssimo bem!

DE LÁ NÃO SAIO, DE LÁ NINGUÉM ME TIRA!

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente