Ela veio até mim num momento em que eu não esperava. Foi em 2002, um ano de descobertas. Eu estava finalmente morando longe dos meus pais, fazendo tatuagens e piercings como louca, passando noites em claro na frente do computador sem ninguém para dizer: “vá dormir”.

Minha primeira vez não foi fácil. Eu estava cansada, de mau humor. Não fazia idéia de como seria. Eu lia em blogs a experiência de outros. Mas não adianta: é o tipo de vivência que você tem que ter sozinha.

Vou ser sincera. Minha primeira noite não foi das melhores mas, convenhamos, a gente nunca sabe como agir, onde pôr as mãos. É natural. Eu estava bem acompanhada, o que me deixou muito mais confortável.

Fiquei algum tempo sem procurá-la, mesmo com todos os meus amigos indo e fazendo aquelas coisas tão estranhas. Ficava imaginando como era possível gostarem tanto daquilo!!!

Até que um dia, por consideração a alguém que eu amo muito, e que é profissional nesse assunto, tentei novamente. Eu já não morava mais em São Paulo e resolvi arriscar. Não devia ter feito isso. Me apaixonei. Me encantei. Era maravilhoso! Finalmente vi as luzes e senti as borboletas no estômago, de que tanto ouvira falar!

Vi nascer em mim um grande problema! Como poderia ficar sem? Como iria agüentar? Comecei a espalhar aos quatro ventos o que tanto fazia em São Paulo. Imaginem… Eu vivia numa cidade pacata do interior, meus colegas ficavam chocados com meus depoimentos! Mas eu não ligava. Eu estava AMANDO! Quando você ama, não se importa com comentários invejosos de pessoas que sequer imaginavam aquilo que você está vivendo.

E o tempo foi passando. E ela era o que me fazia fugir da minha vida chatinha naquela cidade. Cheguei até a assumir pros meus pais, não tinha mais como esconder. No começo eles acharam que não passava de uma “fase”. Mas essa fase não passa.

Hoje eu faço isso pra viver. Eu trabalho nisso. Alguns me julgam, mas não tem como: a Trash é a melhor festa. Trabalhar nela, mais fantástico ainda. Só por causa dela eu fui capaz de assumir que chorava ao assistir “Xanadu”, de vibrar com um show da Simony e de me acabar de dançar até altas horas da manhã com Magal e Gretchen.

Se eu não trabalhasse aqui, ia pedir assim: “Eneas, Tonyy, posso só ficar sentadinha aqui no cantinho olhando? Prometo não fazer barulho!”
Meu Top Trash 80’s

Artista: Sidney Magal
Música: “Voyage, Voyage”
Coreografia: “Thundercats”
Filme: “Xanadu”
Desenho animado: “Cavalo de Fogo” e “Ursinhos Gummy”
Boy band: New Kids on the Block
Doce: Bubbaloo
Ator: Patrick Dempsey (Loverboy)

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Um comentário
  1. Olá! Simony adoro voçe !
    Estou com dúvidas sobre a agencia Cine model´s cidade de Jabaquara SP,Ouvi uma propaganda sobre a mesma feita por voce Ontem resolvi levar minha filha, passando por uma entrevista a moça falou que ela tem talento e se encaixava perfeitamente para um comercial de bonecas que provavelmente vai ser chamada, mas para agencia-la foi necessario pagar 400,00 por um contrato de 1 ano. Mas acabo de ler varios depoimentos que a Cine Model´s não passa de uma propaganda enganosa isso é verdade? Aguardo e-mail Beijos.

    dialog

Comente