Minha paixão pela Trash começou no exato momento em que ouvi o saudoso “la la la la lala” do Show de Calouros. Era a SBTrash e o Rico Suave, vestido de Sílvio Santos, chamava seu corpo de jurados. Enquanto Pedro de Lara, Mara Maravilha, Sarah do Cavalo de Fogo e até a Aracy de Almeida iam subindo no palquinho, eu, que minutos antes pensava “maldita hora em que vim parar nesse lugar de malucos”, gritava e tinha ataques de riso a cada personalidade lembrada pelo Patrão. Nessa noite eu me joguei na pista, entrei em dúzias de trenzinhos de desconhecidos que passavam por mim, chorei de rir com todas as músicas maravilhosas que há tanto tempo eu não ouvia e relutei muito em ir embora. Queria mais, muito mais!

No entanto, isso tudo ainda não tinha sido suficiente pra me fazer perceber que era ali, no calor quase que insuportável do Caravaggio, que eu deveria estar todos os sábados. A ficha só foi cair no dia 16 de maio, 1 ano de Trash 80′s, show de Brazilian Genghis Khan. É impossível tentar traduzir em palavras a sensação que tive ao ver um bando de gente pulando e gritando “Comer comer, comer comer, é o melhor para poder crescer”. Inesquecível!

A partir de então, percebi que já estava no caminho sem volta. Comecei a conhecer os estranhos que faziam toda a mágica da festa. Não demorou muito e passei a sentir falta dessa gente esquisita durante a semana. E aí eram telefonemas, intermináveis conversas por MSN, visitas diárias aos fotologs e blogs, churrascos, terças-feiras no Charm, bombeirinhos no Ben-Hur, French Kiss no palquinho, tequila no mezzanino, funk no domingo de manhã na pista vazia…

Enfim, não existe slogan mais perfeito do que “diversão garantida”. É a melhor definição para a festa que mudou meu modo de pensar e que me fez conhecer tantos amigos maravilhosos em tão pouco tempo.

Alguns dos meus artistas preferidos:

Xuxa – Sou daquelas que se ver a Xuxa na rua grita: “Xuxa eu te amooooo!” Uma das melhores recordações que tenho da minha infância foi quando minha mãe me levou no show dela no Olímpia. Ela entrou cantando “Lua de Cristal” e eu mal conseguia enxergar a rainha, de tanto que chorava!

Magal – Não tem como ouvir “Meu Sangue Ferve Por Você” e não sair dançando, com direito a muitas caras e bocas, tentando imitar todo o charme latino do galã.

Madonna – Ela é perfeita! “Vogue” é a cara da Trash.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente