Para alguns, 13 de agosto era um dia de azar. Mas para mim, foi um dia de sorte. E neste ano, foi de sorte maior ainda.

Lá estava eu, fazendo planos para ir ao videokê (meu hobby) com alguns amigos quando minha amiga Clausa me perguntou se eu queria fazer um extra de faxineira no Caravaggio. Como fazia duas semanas que eu estava desempregada, topei na hora.

Pensei: “Será que vou agüentar? Não gosto de trabalhar à noite, gosto de cantar no videokê com os amigos e sair com meus filhos, como sempre fazemos”. Ainda assim,
lá fui eu.

Na primeira noite, o Fábio – que foi super gente comigo – me orientou como deveria agir durante o trabalho, conversou bastante e, quando eu disse que estava desempregada, me escalou para outra noite.

O Fábio, aliás, sempre faz tudo para ajudar quem trabalha com ele. Faz cara de bravo, mas sempre procura apoiar a todos.

No banheiro conheci pessoas muito simpáticas, que me trataram com muito carinho.

Fui então escalada para trabalhar na parte de baixo. Pensei que estava ferrada, que era muita gente de tribos diferentes. Resolvi tentar. Daí, veio o melhor: conheci pessoas pra lá de especiais, clientes eventuais e clientes assíduos, o incrível staff da Trash 80’s e seus trashers maravilhosos… Comecei então a ganhar o melhor presente que a vida nos proporciona: amigos, abraços, carinho, beijinhos e muito paparico (adoro ser paparicada – e quem não gosta?)

Já me sentia parte da equipe Caravaggio / Trash 80´s, gostava de todos e todos pareciam gostar de mim. Eu tinha orgulho de trabalhar na faxina. Só o que me incomodava era que o serviço era pesado, mas até aí, eu estava feliz, pois sempre fui bem tratada por todos. Virei a tia Mi e ganhei um montão de sobrinhos…

Comigo, as coisas aconteceram muito rápido. O Márcio vivia me dizendo que iria me tirar da faxina para trabalhar com ele. E tirou!

Ele é muito determinado, quando quer algo não desiste, batalha até o fim e sempre vence. Difícil falar dele sem parecer puxa-saco, mas como eu não estou nem aí para o que dizem e não preciso disso, já que procuro desempenhar o meu trabalho da melhor forma possível, afirmo: admiro muito ele. É um jovem que trabalha muito para conseguir ter sucesso, não fica de braços cruzados, arregaça as mangas e vai à luta. Embora não precise se esforçar tanto, quer conseguir sozinho o objetivo que traçou para vida dele. É uma ótima pessoa, trata trata todos que trabalham com ele muito bem. Agora, quando as coisas saem erradas… Dá a maior bronca, fica bravo, nasceu para ser patrão! Porém, quando a gente precisa dele, lá vem Marcio Salles… Escuta, conversa, faz observações sobre o problema, pensa e dá um jeito de ajudar.

E como não poderia deixar de ser, aqui estou, trabalhando, convivendo com tanta gente diferente, cleintes, staff da Trash (estes visionários loucos e maravilhosos), a equipe do Caravggio (gente da melhor qualidade), enfim, todos!

Não vou dar nomes aos bois, pois todos são especiais para mim. Tem alguns que nem o nome eu sei, eles chegam, dão beijos e é tia pra cá, tia pra lá… Amo igual. Nomes não são importantes diante de tanto carinho. O importante é que o amor de vocês venceu e isso é tudo o que posso retribuir. AMO TODOS VOCÊS!

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente