Por Olívia Andreolli

Outro dia estava assistindo, por uma curiosidade sem critério, ao filme “Não é Mais um Besteirol Americano” (Not Another Teen Movie, 2001), que não é nenhuma maravilha. Aposta nos clichês para construir seu enredo e escorrega feio em piadas de mau gosto – muitas vezes sem graça – a maioria com cunho sexual. Mas, já que não tinha nada para fazer mesmo, encontrei nele algo divertido (ao menos para quem nos anos 80 foi um telespectador assíduo da Sessão da Tarde e do Cinema em Casa): procurar as citações a filmes adolescentes da década, muitas vezes não diretamente, mas aludindo a situações que eram comuns nesse gênero de cinema, como a competição para ser a Rainha do Baile de Formatura, por exemplo.

E qual não foi a minha surpresa ao me deparar, no finalzinho do “Besteirol” (ao contrário do que o título diz é, sim, uma besteira sem tamanho) com a participação da “sumida” Molly Ringwald. Para os esquecidos, Molly é a atriz ruiva que estrelou o belo clássico “A Garota de Rosa Shocking” (Pretty in Pink), de 1986. Sua participação em “Não é Mais um Besteirol Americano”, apesar de curta, traz saudade da época em que os programas de cinema das tardes passavam coisas realmente legais.

Molly participou de algumas delas, atuando nos ótimos “Gatinhas e Gatões” (Sixteen Candles, 1984) e “O Clube dos Cinco” (The Breakfast Club, 1985), ambos de John Hughes, o responsável – nada mais, nada menos – pelo impagável clássico das telinhas: “Curtindo a Vida Adoidado” (Ferris Bueller’s Day Off, 1986).

O que dizer sobre esses filmes? Tornaram-se clássicos hoje em dia, em que os anos 80 estão em destaque devido sua peculiaridade estética e comportamental. Molly Ringwald, apesar de não ter ascendido na carreira como se previa, tornou-se uma musa para quem passou a infância ou a adolescência assistindo-a. “A Garota de Rosa Shocking”, seu filme mais marcante, sem dúvida povoou as tardes e também os sonhos e brincadeiras de muitas garotas, na espera pelo príncipe encantado e por um dia ser considerada a mais bonita.

Gatinhas e Gatões, 1984 – Direção e roteiro: John Hughes – Elenco: Molly Ringwald, Justin Henry, Michael Schoeffling, John Cusack.

Molly Ringwald interpreta Samantha Baker, uma adolescente completando 16 anos. Além de sonhar em namorar um colega que namora uma linda jovem, não oferecendo-lhe chances, seu aniversário é totalmente esquecido devido ao casamento de sua irmã mais velha. Além disso, um garoto passa a assediá-la de forma inconveniente.

O Clube dos Cinco, 1985 – Direção e roteiro: John Hughes – Elenco: Emilio Estevez, Paul Gleason, Anthony Michael Hall, John Kapelos, Judd Nelson, Molly Ringwald, Ally Sheedy, Perry Crawford.

Com um elenco adolescente considerado promissor na época, este filme conta a história de cinco jovens que, punidos, foram obrigados a passar um sábado inteiro trancados na biblioteca da escola. Com personalidades completamente diferentes -Andrew (Estevez) é um atleta, Brian (Hall) é o CDF da turma, John (Nelson) é um delinqüente juvenil, Claire (Ringwald) é a rainha do baile de formatura e Allison (Sheedy) é a esquisita do colégio -, surgem atritos e confusões entre os jovens. No entanto, no decorrer da história, isso dará lugar à divisão de sonhos, segredos e traumas, o que resultará na descoberta de que eles são mais parecidos do que imaginam.

A Garota de Rosa Shocking, 1986 – Direção: Howard Deutche. Roteiro: John Hughes – Elenco: Molly Ringwald, Harry Dean Stanton, Jon Cryer, Annie Potts, James Spader.

Molly desta vez interpreta Andie Walsh, uma garota pobre que vai estudar em colégio de ricos. Andie se veste com roupas que passaram por uma reengenharia, num estilo que lembra um pouco a pop star Madonna, o que faz com que as colegas ricas riam dela. A garota logo se apaixona pelo rapaz mais popular do colégio e sonha em poder ter um belo vestido para ir ao baile de formatura e poder conquistá-lo. Impagável a protagonista criando o próprio modelito, rosa-shocking, claro, a partir de dois vestidos, ganhados de presente. Cinderela moderna, bem anos 80.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente