É mega difícil escrever como partir. Como chegar é meio básico: alguém te chama, você fica com medo, mas resolve ir. Daí você entra, escuta umas músicas e pronto: “tá dominado, tá tudo dominado”!

Mas partir é fogo. Imaginar que não vou mais ficar torcendo pra semana passar voando para chegar logo quinta, sexta, sábado e domingo, que não vou mais tentar dançar He-Man, Daddy Cool e Metrô, que não vou mais encontrar as mesmas pessoas sempre sorrindo e de bem com a vida…

Aprendi que não freqüento a Trash, eu vivo a Trash. Eu prego a Trash, eu sou a Trash. Cada um é uma pecinha desse sistema que não tem explicação. Só quem está dentro sabe o que é ser Trasher. O carinho, a alegria, o sucesso, as afinidades, a sexualidade, a conscientização, os valores, a diversão, o esforço e muitos outros ingredientes que fazem desse bolo o melhor e mais saboroso.

Bolo, sistema, constelação, quadrilha, máquina.

E falando nessa galera, já perceberam que nesse “mundo distante” da Trash, todos são personagens, com características distintas e únicas que tornam todos seres especiais? Esse é um mundo de sonhos, sempre agregando mais e mais pessoas. E cada uma que entra é diferente. É incrível como tantas pessoas distintas e com nada em comum consigam ter tanta afinidade e se reunir. Como já disseram uma vez: “é um absurdo como Deus se descuida assim e deixa tanta gente errada junta”. A frase do Manny é perfeita!

Mas estou dando um passo importante na minha vida. Vou atrás do meu sonho e não estarei mais presente para viver cada momento, cada festa, cada brinde de tequila, cada show, cada deformance… mas aprendi que o que é de verdade, dura para sempre e eu volto para viver tudo isso de novo muitas vezes. E como sei que teremos muito tempo de festa ainda, não me preocupo.

Viver essa família foi a coisa mais surreal que me ocorreu, me transformou, virei gente, virei vivo, tive os melhores momentos com ela. Discotecar e a cada música ouvir a vibração do povo, ser ovacionado, ter a roupa arrancada pela euforia das fãs e virar o Mister Trash, ouvir o coro da torcida organizada, ver os cartazes, as máscaras e os flyers, pagar mico, representar tudo isso! Não tem preço… e onde eu estiver, nunca irei esquecer dessas passagens e de muitas outras que a Trash me proporcionou.

Para finalizar, continuem fazendo o que só vocês sabem: garantir a diversão. DJs, continuem arrasando, povo no palquinho, continue dançando, hostess, continuem recebendo, staff, continue sempre servindo de forma exemplar e façam a melhor festa do mundo continuar acontecendo redondinha.

Deixo pra meu coração e o sorriso satisfeito de quem sabe que volta pra se jogar com vocês um dia.

PS1: Animais se agrupam por espécies e eu descobri que não valho nada.

PS2: Pra entrar em contato comigo, escrevam para gus.vieira@gmail.com, ou me adicionem no MSN Messenger – gustamegusta@hotmail.com

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente