Por Trash 80´s

Ela era esquisita. Aliás, em 1980 ninguém poderia ter o cabelo cor de rosa, usar roupas de brechós misturadas com correntes sem passar despercebidos e muitos menos sem ser considerado esquisito. E este jeito incomum de Cynthia Anne Stephanie Lauper, aka Cyndi Lauper, fez toda diferença em 1983 quando ela ficou conhecida mundialmente.

Ela quebrou tabus na maneira de se vestir e de cantar em uma época em que as estrelas que dominavam o cenário musical ainda eram nomes “remanescentes” da década de 70, como Barbra Streisand, Diana Ross e Dione Warwick. E é claro, Cyndi Lauper não se enquadrava entre elas. Não era uma diva e nem tinha pretensões de ser. Inovou o estilo e dentro de pouco tempo ela se tornou número um em todas as “hits parades” do mundo.

Uma voz pra lá de esganiçada – era isso o que diziam dela. E mesmo com a voz estridente, de taquara rachada e todos os outros “adjetivos” dados pelas más línguas, a menina fez sucesso no auge de seus 30 anos (ela nasceu em 22 de junho de 1953). E cantou que só queria mesmo se divertir. Pelo jeito conseguiu.

Fascinada pelos Beatles e mais ainda pela voz de John Lennon, na adolescência resolveu abandonar o colégio, decidida a se tornar cantora. Cantando em bares e parques e em 1974, descolou um trabalho de covers, mas insatisfeita, foi buscar novos rumos.

Em 1979 se uniu a uma banda estilo anos 50 chamada Blue Angel. O grupo lançou um álbum em 1980 e a música “Maybe He’ll Know”, foi o primeiro sucesso na voz de Cyndi. A banda só durou 2 anos com a Polygram pedindo o seu fim.

No ano seguinte Cindy Lauper já assinava seu primeiro contrato solo. E finalmente em 1983 a cantora que ganhou o apelido de patinho feio do rock, despontou para a fama graças ao single She´s so Unusual, que vendeu 4 milhões e meio de cópias em todo o mundo.

“Girls Just Wanna Have Fun” virou hino de uma geração. Nas festinhas as meninas dublavam a música vestidas a la Cyndi Lauper: saias de tule, meias pink rasgadas, cabelos emaranhados, brincos gigantescos – quanto mais parecidas melhor.

Outras faixas do mesmo álbum também fizeram grande sucesso: “She Bop”, e as românticas “Time After Time” e “All Through the Night”, que lhe renderam de uma só vez 5 discos de platina.

Em 84, compôs e gravou a canção-tema do filme “Goonies”, de Steven Spielberg, que acabou virando mais um sucesso. No ano seguinte, seguiu cantando pela Europa e Japão. O segundo álbum, veio em 86 com a música “True Colors”, ficando entre as 10 mais tocadas praticamente no mundo inteiro, garantindo outro disco de platina.

Na década de oitenta, a cantora lançou mais dois álbuns: “The Best Remixes” e “A Night To Remember”, ambos de 1989, mas já não com o êxito dos primeiros. E pelo que tudo indica, parece que a culpa foi de Madonna que surgiu na mesma época de Cyndi e “levou embora” seus fãs.

Seja qual for o motivo da cantora não estar mais entre as grandes estrelas nos dias de hoje ela segue. “At Last” é o mais recente CD da cantora lançado no final de janeiro de 2004. E por mais que o tempo tenha passado e ataualmente a menina esteja no auge de seus 50 anos, ela sempre será a mesma Cyndi Lauper que fez milhões de pessoas do mundo todo berrarem que só queriam se divertir.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
4 comentários
  1. essa maluquinha tem uma voz q pira qualquer um sou fansãooooo…

    dialog
  2. tenho 17 anos, e sou fascinada por cyndi lauper, e as pessoas ainda acham estranho o jeito dela, e mais estranho ainda eu gostar dela,meu amor por ela não tem tamanho, cresci ouvindo essa voz linda, cyndi, vc é minha musa! ♥

    dialog
    elaine Silva comentou em 3 de junho de 2010 às 7:50 Responder
  3. Eu adoro a Cyndi, seu estilo, sua voz, suas músicas, seu cabelo, tudo !!! Cyndi tem personalidade !

    dialog
  4. NÓS AMAMOS CYNDI LAUPER COM TODA A NOSSA ALMA!!!

    dialog

Comente