Por Roberta Ribeiro para Trash 80′s

O que não falta na Trash 80´s é arte. E não se resume somente à música. Durante 2004, muitos dos eventos que mexeram com o público do “cortiço” foram voltados para arte. Sem contar da programação do mês de setembro, totalmente voltada para o tema. Teatro, videoarte, grafite, cinema, fotografia… são apenas algumas formas artísticas que retratamos durante este ano.

Mas, é preciso também atentar para outras representações que normalmente passam despercebidas. Alguém dúvida que os flyers, que são entregues todos os meses, são obras de artistas? Não é nada fácil pensar em imagens sobre o tema que será abordado durante todo o mês. Até mesmo a diagramação do convite não é tão simples quanto pode vir a parecer. Como fazer caber muitas – e necessárias – informações num espaço tão reduzido e de forma esteticamente correta?

Outra forma de arte que muitos vêem, mas não notam como deveriam são as decorações. Cada uma delas voltada ou para a programação do mês ou para aquela festa específica. Criar adereços para cada uma delas, sem repetir muitos elementos é tarefa complexa e que requer muito da imaginação de quem a trabalha. Sem contar o esforço físico mesmo, de subir, se pendurar por vezes, para deixar tudo arrumado e bonito para quem vai curtir a festa.

Então, da próxima vez que resolver ir à Trash, tente prestar atenção às diversas formas de arte que aparecem por lá: o flyer que traz a programação, à decoração, às músicas e vídeos. Faz parte do que faz com que o clima da festa seja tão especial.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente