Arquivo do mês: março 2003

01/3 – CarnaTrash
DJ convidado: Marcelo Vilela

Carnaval na Trash 80′s é um evento único. Se a festa já é divertida, imagine como foi com a presença do cabelereiro Marcelo Vilela da Engenharia De Corte, que debutou na Trash 80′s como DJ, mas fazia as cabeças da cena alternativa há muito tempo. Muita new wave nacional e rock poser para quem queria fugir do samba! Fantasias ou máscaras eram obrigatórias, e quem esquecer, teve que passar pela seleção feita pelo host Alisson Gothz, incumbido de oferecer máscaras para os freqüentadores. Já dá pra imaginar o que aconteceu né?

04/3 – Trash Especial no TEATRO OFICINA – Carnaval Kitsch
DJ convidado: Rico Suave

O Teatro Oficina preparou pela primeira vez em sua história um Carnaval diferente para o público de São Paulo. Saíram os espetáculos teatrais, entrou festa. Na terça, dia 4 de março, o teatro foi tematizado para o baile de Carnaval mais trash de São Paulo. Nada de samba! Os tamborins ficaram do lado de fora. O palco foi invadido pela já tradicional salada bem-humorada da trupe Trash 80’s, com música infantil (Dominó, Trem da Alegria), trilha sonora de filmes de gosto duvidoso (“Footloose”, “Um Tira da Pesada”) ou mesmo de séries de TV nada cults (“Super Herói Americano”, “He-Man”).

08/3 – SBTrash
DJ convidado: Rico Suave

É ritmo de festa! Não pense que o Carnaval Trash tinha acabado. Em plena quaresma nosso suplente mais idolatrado, Rico Suave, garantiu a animação em mais uma noite temática. A vítima foi o adorável Silvio Santos e toda sua bagagem trasheira com pérolas como “A Música do Peão da Casa Própria”, além de várias trilhas sonoras de séries toscas dos anos 80 como “Punky, a Levada da Breca” ou mesmo os cultuados programas “Bozo” e “Chaves”. Adicione toda a safra de novelas mexicanas e os humorísticos de terceira, a festa ficou completa. E muita gente veio a caráter para esse tributo ao pior da televisão brasileira.

15/3 – Trash Bloggers 6
DJ convidada: Larinha

A Trash 80′s tem um ligação estreita com o universo dos blogs e a prova disso é a já tradicional noite Trash Bloggers. Nesta sexta edição a nossa Goonie mais querida, Larinha foi a aniversariante e DJ convidada e como havia prometido, tocou muita música infantil (de Xuxa à Banana Split), trilhas de filmes (“Super Herói Americano”) e pop 80 (de A-ha à Miami Sound Machine). Lenore, musa dos blogueiros, também comemorou mais um ano de vida.

E aconteceu pela primeira vez em nossa festa um evento de cunho beneficente, com a arrecadação de doações para a entidade “Praids” (11 6280-0376), uma casa de amparo à crianças e adolescentes portadoras do vírus HIV. Qualquer tipo de doação (incluindo alimentos e roupas) foi aceita, e durante a noite sorteamos CDs entre os que participaram.

22/3 – Trash Mix 2
DJ convidado: André Fischer

O criador do Mix Brasil – Festival Da Diversidade Sexual – não resistiu e se jogou pela terceira vez na cabine da Trash 80′s. Além da diversão garantida por André Fischer e sua turba desvairada de acompanhantes, os cem primeiros a chegar ganharam um LP usado.

29/3 – Trash Salad
DJs convidados: Camilo Rocha & Mariana DL (PESTE DUO)

De “Sempre Livre” a “Company B”, passando por “Survivor” e “Robertinho do Recife”… os DJs Camilo Rocha & Mariana DL (PESTE DUO) fizeram uma Salada Russa em Paris, com exagerados temperos da culinária sonora do anos 80 na noite Trash Salad ! Você consegue imaginar que um dos top DJs de techno da noite paulistana foi capaz de esconder esse lado trash e perverso?

Meu affair com a Trash começou recentemente, em agosto deste ano. Tinha voltado há dias de um intercâmbio e um amigo, o Fabião, me convidou a ir a Trash.

Já tinha ouvido falar, mas nunca tinha me aventurado porque que o pessoal que costumava andar nem curtia.
E então, no dia 15 de agosto eu fui pela primeira vez. Desde este dia, como comentam: “o mosquitinho” me picou me contaminou totalmente. Mas confesso, quando entrei fiquei meio “assim”. Nossa senhora, aquele chão quadriculado, aqueles “badulaques” pendurados no teto, e VAZIO… Pensei: “ixi, baladinha furada”. Eram mais ou menos 23h45 e passaram mais alguns minutos e como num passe de mágica aquela mesma pista já estava tomada, fervendo!!!!

Tudo de contagiante acontece lá, em todos os sentidos: as pessoas, as músicas, a decoração e principalmente o ambiente total irreverente!

Quando ouvi “Curumim” de Mara Maravilha, quase chorei… Ai meu deus, lembrei de quando fui ao programa dela e me “achei” – que puta mico! Agora quando tocou Wando, e aquele coro perfeito soou, tive a certeza de que ali era meu lugar!

Semanas e semanas foram passando, e eu me empolgando a cada vez… Também por vias de um amigo, soube do Rico Suave, que me chamava mais e mais ao cortiço! Da mesma maneira, entrei para a lista de discussão, e através dela conheci mais e mais pessoas: Paulinha, Cris, Pão, Déia, Cathy e até o Tonyy num momento inusitado!!

A Trash mais marcante para mim foi a Trash Chacrinha, embora não tenha me lembrado tanto do mesmo, achei aquela energia super contagiante, além de ter agarrado o abacaxi, óbvio!!!

“Trashear” é um novo verbo utilizado por muitos. Ele tem se encaixado perfeitamente no meu vocabulário. Pois sinceramente, nada como chegar na sexta feira à noite, e me preparar para a festa – as vezes parece que tenho 15 anos novamente.