Sônia. Este é o nome da responsável. A responsável pelos últimos 160 dias de diversão garantida da minha vida. Sempre gostei de anos 80. Sempre me diverti com tosqueiras. Mas, eu não sabia até 160 dias atrás que existia uma festa como a Trash 80’s. Sou (era na verdade) uma pessoa caseira que via seis filmes e lia dois livros por final de semana. Dai a Sônia me falou da Trash “é um buraco lá no Centro, cafofo, mas, sei que você vai gostar, entra no site”, eu entrei e nem esperei ela ter um tempo pra me levar à festa, convidei o melhor amigo que alguém pode ter (Ronald –TT) e lá fomos nós, no dia 28 de junho (aniversário do moço, inclusive), pra melhor festa de nossas vidas… Sem exagero. Não vimos o tempo passar… Estávamos sem relógio e ao sair nos deparamos com o dia claro e a primeira coisa que nos veio à mente foi “ai, minha mãe vai me matar! Não avisei que ia passar a noite fora”.
Enfim, de lá para cá, semana após semana, num vício sem fim, apareci na festa, me diverti, conheci pessoas maravilhosas (umas que eu sei que vão me acompanhar pela vida afora), aprendi, vi e fiz mais coisas em 160 dias do que qualquer pessoa de vida pacata pode sequer imaginar. E pra provar que sou uma trasher de coração, eu diria quase de nascença, cinco momentos que ilustram o meu caminho dentro deste universo que é o mundo Trash 80’s .

Fraldinha Feliz – Meu jeito de chegar na turma foi enfático: uma camiseta e muita cara-de-pau. Frente: “Sou feliz, por isso estou aqui”. Costas: Fraldinha Feliz. E o povo foi chegando. E aí tudo começou. Fiquei exatamente 1 mês curtindo a festa de forma anônima. A festa em questão foi a Trash Bloggers e Fotologgers com Calcinha e Sutiã do dia 26/07.
Loirinha do Subúrbio – A Chacrete – Eu nunca havia subido no palquinho e conhecia apenas fraldinhas como eu, nenhum trasher ilustre e famoso (hihihi) fazia parte da minha vida até então. Ser chacrete sempre foi um sonho. Quando soube da “deformance” me inscrevi…. e daí foi só alegria. Foi hilário e emocionante. E o anonimato acabou de vez!
A Debutante – Posso Falar? Dancei a valsa com o Rei Louro da Festa, 15 casais de amigos se jogaram na valsa comigo e foi um dia extremamente feliz. Mais um sonho realizado.

Poderosa Ísis – Tudo bem que teve apenas meia dúzia de pessoas fantasiadas. Tudo bem que queimaram minha perna com cigarro. Tudo bem que senti um pouco de vergonha por ser umas das únicas doidas fantasiadas do salão. Mesmo usando um clichê, eu preciso falar…. se fantasiar da heroína predileta e ouvir no meio da pista pessoas reconhecendo o seu personagem (achei que ninguém lembrava da Poderosa) não tem preço!!!!!!!!!!

Isabela Garcia – Ao surgir a Trash Globo de Ouro ganhei o papel de apresentadora sem nenhuma concorrência. E foi ótimo apresentar as atrações, uma a uma, todas com um enorme carinho, pessoas muito queridas, amadas e sem nenhum medo de parecer cafona. Cada sorriso, cada abraço, cada carinho e cada fim-de-semana perto dessas pessoas e aqui incluo também, todos os que trabalham na casa, meus quatro amados DJ’s residentes e os dois quase-residentes, me tornam uma pessoa mais completa e feliz a cada dia que passa. Por isso, longa vida a Trash 80’s e a tudo o que vem incluído neste pacotão de alegria.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente