Desde que conheci o mundo da Internet, em 1997, venho me surpreendendo cada vez mais. A rede mundial de computadores é capaz de encurtar distâncias e aproximar pessoas de maneiras muitas vezes inesperadas. Foi assim que conheci a Trash 80′s. Um ICQ, um blog e a vontade expandir os horizontes me fizeram chegar àquele lugarzinho peculiar chamado Hotel Cambridge – com seu luxo, glamour e breguice.

Certo dia estava conversando com minha amiga Juliana (Lenore) pelo ICQ, quando fui chamado para uma festa diferente. Ela havia acabado de receber um convite do próprio DJ da festa (um certo Tonyy), que a conheceu através de seu blog. Fomos com mais um amigo e nos deparamos com a melhor das festas, no melhor dos lugares. Chegamos cedo, enquanto tocava a sessão de músicas lentas tocadas pelos DJs no início da noite, carinhosamente batizada de “mela cueca” pelos frequentadores, e nos assustamos com o estilo do lugar. Me perguntei várias vezes o que estava fazendo lá e cogitei mais outras várias a possibilidade de irmos embora.
Mudei de opinião quando conheci os DJs Tonyy e Eneas, que fizeram me recordar a época de ouro da música: os anos 80. Foi paixão à primeira “ouvida”. Paixão esta que foi aumentando cada vez mais, conforme fui me tornando frequentador assíduo da festa e conhecendo as pessoas lindas e queridas que estão lá procurando o mesmo que eu: a tal “diversão garantida” que os organizadores tanto fazem questão de divulgar – e de certa forma “impor” – a todos. E eu encontrei essa diversão. Encontrei amigos maravilhosos, energia contagiante e calor humano em um lugar mágico e especial que é a Trash 80′s.

Como um dos primeiros habitués não posso deixar de citar dois feitos que marcaram minha vida nesta festa. O primeiro é o orgulho por ter sido um dos “inventores” (em parceria com minha amiga Juliana Lenore) do termo que hoje, todos conhecem por OYM ou Open Your Mind – mas conheceram em épocas passadas como “Almôndegas”; o segundo momento foi o mais importante para mim. Em uma destas festas, há exatos 6 meses, conheci o grande amor da minha vida: minha esposa, a Tuka. Em uma edição especial para os blogueiros (pessoas que escrevem “diários virtuais”) estávamos fadados a nos conhecer, romper barreiras e vencer desafios para ficarmos juntos. E assim estamos, coincidentemente vivendo em um apartamento há algumas centenas de metros do local da festa.

Em suas inúmeras edições, com seus mais variados temas, seus diversos DJs convidados e o clima de amizade, respeito e carinho que tornam a Trash 80′s um lar, com uma família sempre disposta a dividir seu coração com os novos integrantes que queiram se sentir em casa ao se unir ao “cortiço” – como é chamada a festa pelos mais íntimos – muita coisa mudou. Mas o carinho e o amor que todos sentimos pela Trash 80′s, desde o staff da casa, até aquele habitué que sempre vai embora na última música tocada pelos DJs, perdurará para sempre.

Me pediram para eleger os meus artistas preferidos. Sei que isto parecerá piegas, mas meus artistas preferidos são o Dj Tonyy, o DJ
Eneas, o “quase” DJ Rico Suave, o tudo-de-bom Alisson Gothz com suas montagens fabulosas e é claro, vocês frequentadores, que formam a NOSSA familia Trash 80′s a melhor de todas as décadas.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente