Por Trash 80´s

Quem é que já não se viu tocando um vinil ao contrário quando criança? E isso porque alguém lhe havia dito que uma certa música tinha palavras e frases no mínimo esquisitas quando ouvida de trás para frente. Garanto que muita gente já fez isso e naquela época nem era moda esse negócio de mensagem subliminar. Citaremos alguns dos clássicos que faziam com que crianças e adultos ficassem malucos para constatar a veracidade dos boatos, veja se você se lembra:

O grupo Menudo além de fazer com que milhares de meninas histéricas lotassem estádios de futebol na década de oitenta, nas horas vagas diziam que os meninos cultuavam o capeta (tudo bem, isso é clichêzão porque era só alguém fazer sucesso que logo se dizia que o fulano havia feito um pacto com o demo). Mas quem tem dúvidas em relação a isso e ainda tem perdido na estante um vinil com a música “Não Se Reprima”, experimente ouvir o refrão ao contrário. Com muita clareza entende-se a frase: “Satanás vive” repetidas vezes.

O Balão Mágico que emplacou tantos sucessos infantis e inocentes também foi vítima da lenda da “música ao contrário”. Dizem que na meiga “Superfantástico”, ouve-se um coral de crianças cantando “porque já invadimos o mundo… porque já moramos… porque já

morremos”. Garanto que se sua mãe soubesse disso jamais teria te dado o disquinho que tanto você tinha pedido de natal, não é mesmo?

A Xuxa é uma das recordistas de mensagens ocultas em suas canções. Coitada, tudo o que ela cantava falavam: “Sabe esta música aí? Ela venera o demo nela!”. Acho que as pessoas associavam que para uma voz tão tosca fazer sucesso só mesmo venerando o chifrudo. Dizem que a música “Meu Cãozinho Xuxo” ao contrário se ouve a seguinte mensagem: “Meu Anjo é o Diabo e o mundo tem que ter esse seu amor que recebo”. Na música “Marquei um X”, (lembram que ela fala três vezes o “Xis”?), ou seja, Xis, Xis e Xis, considerando que Xis invertido é Six (Seis em inglês), teremos Six, Six, Six – 666, o número da besta. Além desse fato “assustador”, na época corriam rumores de que este mesmo refrão ao contrário dizia: “Jesus é exu, exu é rei”. Já a música “Doce Mel”, quando executada ao contrário, diziam os malucos que tinham tempo para fazer isso, que se entendia: “Adore Hare Krishna, afronte Javé”.

A MPB também é repleta de “causos” de mensagens subliminares, mas acho que a vítima mais famosa é Alceu Valença e a sua “Anunciação”. Sem inverter nada as pessoas já diziam que a música falava do diabo e que ele cantava à sua vinda, coisas assim. Quando a canção é invertida dizem que se ouve diversas mensagens. Na parte do refrão: “Tu vens, tu vens, eu já escuto os teus sinais”, invertida dizem que fica: “Se ajoelha a exu, se ajoelha, servo cego”. Em outras partes da música ainda falam que dá para ouvir: “Tudo isso nós dois… Domingo de manhã vamos sair e curtir. Anjo sujo é Jeová” e uma outra: “Servo, Servo”. Durante anos Alceu Valença falou em entrevistas muito pacientemente a respeito desta música e pelo jeito nunca ficará em paz por ter composto a tal canção – tá vendo? Castigo!

O rock nacional teve seu representante entre os “adoradores do capeta”. As más línguas dizem que a música “Pais e Filhos” do grupo Legião Urbana, no trecho: “Quero colo, vou fugir de casa, posso dormir aqui com vocês”, ao contrário, ouve-se: “satanás

aqui” – em todo este pedaço, só isso? Até parece coisa de tradução de filme de quinta categoria, sabem? Quando o cara abre a boca e fala zilhões de coisas e na tradução apenas diz: “já vou”. Uma vez até lembro que Renato Russo fez uma declaração a respeito desses boatos em alguma revista de música da época. Ele deu risada e disse que era óbvio que a banda cultuava o diabo, senão como explicar quatro rapazes (ainda eram quatro) que não sabiam fazer música e que conheciam apenas algumas notas fizessem tanto sucesso? Dá-lhe…

Os Titãs também foram foco de boatos de satanismo. Sem nem precisar rodar disco ao contrário, a banda já era considerada subversiva e nenhum pai e mãe de família deixava de torcer o nariz se encontrassem um vinil do grupo no quarto dos filhos. Piorou quando começaram a dizer que em “Sonífera Ilha”, no momento em que se invertia o começo da música que dizia: “Não posso mais viver assim a seu ladinho, por isso colo meu ouvido num radinho de pilha” o resultado era: “venha até mim e me leve pra longe de Deus porque o odeio”.

Tirando um sarro descarado de todo mundo que insistia em fuçar os vinis dos artistas, os Engenheiros do Hawaii fizeram a música “Ilusão de Ótica” com uma mensagem colocada propositalmente (claro, que havia quem não acreditasse que tinha sido intencional). No trecho “Ih, não roda assim, não gosto que rode assim…”, quando executada ao contrário, ouve-se o seguinte: “Por que você está ouvindo isto ao contrário, o que você está procurando, hein?”. Quem ouvia isso quase tinha um treco! O disco era quebrado na mesma hora.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente