– Olha, não sei não! Acho que esse negócio de festa no Cambridge vai ser uma grande furada… Deve ser uma dessas festas de velho, acho que eu não vou não… Já imaginou se começa a tocar bolero?

- Ah, sei lá! Vamos tentar, a gente não tem o que fazer mesmo…
Esse foi o diálogo proferido por minhas amigas no meu quarto, exatamente uma semana antes de eu conhecer a Trash. Como na época eu namorava, não estava incluída no programa delas para sábado à noite.

- Bom, então é isso meninas… Vou nessa que ele já está me esperando, boa balada pra vocês!

- Duvido, duvido que vai ser boa , mas tudo bem…

No dia seguinte ao telefone:
- E aí, como foi lá ontem?

- Você não tem noção! Foi muito legal, a sua cara! O som de lá não toca em lugar nenhum. Só para você ter uma idéia tocou “Being Boring” do Pet Shop Boys, você sabe o quê isso significa?

- Sei. Significa que na semana que vem eu estou lá.

E isso bastou para que no outro sábado meus pés circulassem por aquele imponente tapete vermelho. E também para que a recepcionista do hotel recebesse a mesma ligação durante semanas:

- Alô! Vai ter “festa anos 80″ esse sábado?

Como a Trash havia sido recém inaugurada (isso foi em junho de 2002) não sabíamos muito bem o que era, não conhecíamos a programação ou as pessoas e nem mesmo o nome. Eu só sabia que enquanto tivesse a tal “festa anos 80″, eu estaria nela. E foi o que aconteceu. Desde a primeira vez em que avistei o bar do hotel tomado por aquelas poucas (poucas mesmo!) pessoas que se reuniam para ouvir músicas que o resto do mundo se envergonhava, nunca mais freqüentei outro lugar. E já se passaram quase dois anos. O melhor disso tudo é que até hoje sinto o mesmo encantamento daquela época, ao sair de casa todos os fins de semana rumo a mais uma Trash.

Com o passar do tempo, a festa mudou de lugar (os sofás de couro já não comportavam tanta gente) as pessoas se reciclaram e São Paulo inteira resolveu não se envergonhar mais do tipo de música tocado lá.
Hoje em dia são quase 500 desavergonhados por noite se reunindo aos fins de semana para viverem os melhores dias de suas vidas. Eu poderia citar aqui as inúmeras melhores Trashes na minha opinião. O único problema é que sempre haverá uma próxima que vai superar a anterior e por aí vai… Ou seja, fazer isso só será possível no dia em que não houver mais “festa anos 80″. E nesse dia acho que eu vou estar muito deprê pra isso.

Gostou? Veja também:
Comente no Facebook
Comente